Familiares e amigos se uniram para prestar as últimas homenagens para Luana Caroline Magaton, de 24 anos, na manhã desta terça-feira (9). Ela foi encontrada morta dentro do carro dela, no bairro Itaqui de Cima, em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, com sinais de estrangulamento. O velório aconteceu na Capela Municipal do município e o sepultamento está marcado para acontecer às 16h30. Durante as homenagens, os pais passaram mal e foram amparados por outros parentes. A Polícia Civil investiga o crime.

Luana Magaton, 24 anos. Foto: Instagram/Reprodução

Por causa das fraturas em perna, clavícula e outros ferimentos, uma foto da jovem foi colocada ao lado do caixão. “Irreconhecível, não dá para dizer que é ela, parece até outra pessoa, uma crueldade muito grande”, disse Gerson Fontana, primo de Luana, que estava no velório e falou com a Banda B.

A jovem trabalhava como atendente de ambulatório no Hospital Nossa Senhora do Rocio. Era o primeiro dia de Luana no expediente do hospital após um período de férias. Ela tinha recém se separado do marido e estava morando novamente com os pais e fazia o caminho casa/trabalho com o carro dela, um veículo Celta.

O tio-avô da jovem, Pedro Batista, contou que Luana era uma garota bastante calma e muito querida por todos. “É muito triste, ela era uma pessoa muito boa, isso é um choque. Não fazia mal para uma formiga, todos adoravam ela. Saindo de casa para ir trabalhar, tinha voltado de férias. Fui um dos primeiros a chegar lá com o pai dela, quando eu cheguei, vi aquele carro com a porta aberta, foi muito triste ver aquilo. Vão descobrir quem fez isso”, finalizou.

A polícia do município faz diligências em busca de informações e pistas que levem ao paradeiro do assassino. Pistas sobre uma suposta companhia já foram repassadas para a delegacia, mas o trabalho está sendo sigiloso.

O caso

A vítima foi encontrada morta dentro de um veículo Celta, na Rua Sebastião Alves Sampaio, nas proximidades do Bodegueiros, no bairro Itaqui de Cima, na manhã de hoje. O carro, com placas de Balsa Nova, está no nome dela. O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba e a delegacia de Campo Largo investiga o caso.