Policiais civis do Núcleo de Repressão aos Crimes contra a Saúde (Nucrisa) desmantelaram, na última terça-feira (7), um esquema de venda de falsos atestados médicos. Marco Antônio Jarosz era responsável por falsificações de diversos documentos, entre eles, atestados utilizados para abonar faltas em atividade laboral, emitidos pelo Hospital de Clínicas de Curitiba e pela Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Colombo.

Divulgação PC
Suspeito vai responder pelo crime em liberdade

“Ele foi indiciado pela prática criminosa, mas como não foi preso em flagrante, vai responder em liberdade”, contou a delegada titular do Nucrisa, Paula Brisola.Paula contou que durante a operação foram apreendidos com o investigado carimbo médico, folhas de atestados médicos originais em branco, impressões de atestados falsos, contracheques, históricos escolares da Secretaria de Estado da Educação do Paraná falsificados, um documento de identidade da Justiça Federal falsificado, além de equipamentos de informática.

“O indiciado relatou em interrogatório que ‘seu forte era a falsificação de atestados’, que eram vendidos às pessoas que o procuravam em sua residência, inicialmente pela quantia de R$15. Como a procura aumentou, nos últimos seis passou a vendê-los por R$20. Ele confirmou fazer a falsificação via computador pela edição de softwares de informática”, contou a delegada.

A delegada disse que as investigações continuam. “As pessoas que utilizam os documentos falsificados podem responder pelo crime descrito no artigo 304 do Código Penal (uso de documento falso) e o autor da falsificação pode responder pelos crimes descritos nos artigo 297 (falsificação de documento público), artigo 298 (falsificação de documento particular) e artigo 299 (falsidade ideológica) dependendo da situação no caso concreto”, explicou.

Casos suspeitos podem ser denunciados ao Nucrisa, na Rua Desembargador Ermelino de Leão, 513, São Francisco; por e-mail: [email protected] ou pelo telefone (41) 3883-7120.