Ex-prefeito da cidade Gilberto Dranka e, de costas, ex-vereador e presidente da Câmara Municipal, Leonides Maahs. Foto: O Regional

 

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) concedeu, na tarde desta quinta-feira (8), liberdade ao ex-prefeito de Piên, na região metropolitana de Curitiba, Gilberto Dranka. O político é suspeito de envolvimento na morte do prefeito eleito da cidade, Loir Dreveck, de 52 anos, – que foi assassinado no dia 17 de dezembro de 2016, antes de tomar posse no cargo.

Dranka fará agora uso de tornozeleira eletrônica e responderá ao processo em liberdade. Ele e outros três acusados são réus no processo que investiga a morte de Drevek.

O advogado de defesa de Dranka, Cláudio Dalledone Junior, afirma que o ex-prefeito é inocente e vítima de uma investigação confusa e falha. Segundo ele, existem fortes elementos que apontam a autoria do crime, assim como seus verdadeiros mentores. “Dranka não está, nem nunca esteve envolvido neste crime. No tempo certo, todos os fatos serão esclarecidos e a verdade virá à tona”, afirmou.

Dreveck foi baleado por um motociclista em dezembro de 2016 em uma rodovia de Santa Catarina quando viajava com a família. O prefeito eleito chegou a ser internado, mas morreu três dias depois.

A denúncia acatada pela Justiça, o Ministério Público afirma que Gilberto Dranka e o ex-vereador Leonides Maahs foram os autores intelectuais do crime.

Notícias Relacionadas: