Por Marina Sequinel

Estilista já participou do programa da Fátima Bernardes. (Foto: Reprodução/Facebook)

O estilista Edson Eddel negou que tenha agredido uma cliente durante confusão dentro da sua loja na tarde desta terça-feira (7), no Centro de Curitiba. Ele disse que apenas repreendeu a professora Denise Boetcher porque ela estaria tirando fotos dos vestidos.

“O meu ateliê tem vários avisos que deixam claro que não é permitido fotografar, para evitar cópias das minhas peças. Só que essa mulher simplesmente desobedeceu a ordem. Uma cliente do outro lado das araras me avisou que ela estava tirando fotos. Eu dei a volta e fiquei atrás dela e vi, que cada vez que a filha vestia uma peça, ela registrava”, disse o estilista em entrevista à Banda B.

Segundo ele, sempre que passava pela professora, ela tirava a câmera da tela do celular e abria outro aplicativo. “Além disso, ela estava com a própria costureira na loja. Eu falei para ela que não podia tirar foto e ela surtou. Começou a me xingar e foi descendo a escada quebrando as coisas”, rebateu o estilista.

Ele acusa a cliente de derrubar uma estátua e, depois, ao descer a escada, um vaso de cristal – obras “assinadas” que custaram, juntas, R$ 4,8 mil. “Quando ela estava saindo, pegou o vaso e veio correndo para cima de mim. Eu simplesmente segurei os braços dela, mas não a agredi. Ela fez o objeto voar longe”.

Eddel também registrou Boletim de Ocorrência sobre o caso e afirmou que vai entrar na Justiça contra a cliente. À reportagem, a professora disse que não tirou fotos dos vestidos em momento algum e alega ter sido agredida, com chutes e empurrões, pelo estilista. Confira a versão dela na matéria relacionada abaixo: