Luiz Henrique de Oliveira/Banda B
Familiares e amigos da vítima estavam bastante emocionados e inconformados com a morte

Os agentes penitenciários não foram escoltados no trajeto a Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP) pela Polícia Militar (PM) um dia após a Secretaria de Segurança Pública e de Justiça do Paraná prometer que a segurança dos trabalhadores seria reforçada. A declaração é do presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, José Roberto Neves, durante o velório do agente penitenciário Vilmar Antônio Prestes da Silva, 41 anos, assassinado no início da semana. “Isso não aconteceu. Esta promessa não foi cumprida. E não é somente este não cumprimento que me assusta. Também me preocupo com esta medida tímida tomada pelo Governo. Os agentes estão vulneráveis não apenas no trajeto ao trabalho”, garantiu o presidente em entrevista à Banda B.

O presidente rebateu ainda que o Governo, embora não admita a existência do Primeiro Comando da Capital, sabe que existem facções criminosas dentro das cadeiras do estado. “Eles já estão reconhecendo a existência de criminosos de facções. O fato é que os agentes penitenciários não podem ficar expostos a tamanha violência”, reclamou.

O corpo do agente penitenciário Vilmar foi velado na Capela do Vaticano e o enterro acontece às 11h30 no Cemitério Santa Cândida. Familiares e amigos da vítima estavam bastante emocionados e inconformados com a morte.

Reunião

O diretor do departamento penitenciário do estado (Depen), Maurício Kuehne, confirmou que os agentes, a partir de hoje (20), seriam escoltados ao trabalho pela Polícia Militar. Kuehne também negou durante a reunião de terça-feira (19)qualquer ligação da facção criminosa PCC (Primeiro Comandado da Capital) com os últimos casos de mortes de agentes penitenciários.

Crimes

O primeiro crime aconteceu na noite desta quarta-feira (13) na rua Padre Jacinto Meinsopust, no Jardim Gabineto, Cidade Industrial de Curitiba. O agente penitenciário Valdecir Gonçalves da Silva, 35 anos, foi morto dentro de casa. No final da tarde desta segunda-feira (18) na rua Francisco das Chagas Lopes, no bairro Boa Vista, em Curitiba, Vilmar Antonio Prestes da Silva, 47 anos, foi assassinado ao lado do filho. Homens em um veículo prata teriam passado por ele e efetuado os disparos.