Por Marina Sequinel e Daniela Sevieri

(Foto: Daniela Sevieri – Banda B)

Um jovem de aproximadamente 20 anos foi morto com um tiro na nuca em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, na noite desta quarta-feira (21). Segundo testemunhas, ele estava acompanhado da namorada na Rua José Domingues Faria, quase esquina com a Dona Brasília, quando foi surpreendido pelo atirador.

No local, a Polícia Militar (PM) não passou informações sobre o crime. No entanto, de acordo com o perito Cúnico, do Instituto de Criminalística, a vítima pode ter sido obrigada pelo assassino a se ajoelhar antes de morrer. “Foi só um tiro acima da nuca, foi uma execução clássica que a gente vê no cinema, com a vítima de joelhos. Ainda não podemos confirmar, mas aparentemente foi o que aconteceu”, disse em entrevista à Banda B.

De acordo com ele, o Instituto atende de quatro a cinco homicídios por dia. Na maioria dos casos, no entanto, os criminosos disparam várias vezes, de uma longa distância. “Nós sabemos que, desta vez, o tiro foi bem de perto, até furou o gorro de lã que a vítima usava. Quando o disparo é a queima-roupa o orifício formado pelo projétil aumenta e provoca uma lesão bem grande”, completou.

O corpo do rapaz, identificado apenas como Lucas, foi recolhido ao Instituto Médico Legal e a Polícia Civil deve investigar o caso.

Homicídio em São José dos Pinhais

(Foto: Daniela Sevieri – Banda B)

Um jovem de 21 anos também foi morto na noite desta quarta-feira em São José dos Pinhais. O caso aconteceu na Rua Alferes João Bortoloti, no bairro Zaniolo.

O rapaz, que tinha passagem na polícia por tráfico de drogas, estava dentro de uma casa nos fundos do terreno quando foi chamado pelo apelido no portão. Ao sair, ele foi recebido a tiros e ainda tentou correr, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local. “Os vizinhos ouviram os disparos, mas preferiram não sair, por precaução. Quando foram ver o que tinha acontecido, os autores já não estavam mais na região. Ninguém viu o veículo utilizado para a fuga”, contou a tenente Jéssica, da Polícia Militar.

O caso será investigado pela Polícia Civil de São José dos Pinhais.