Redação com Polícia Civil

baterias_03102013

Cada bateria custa à empresa R$ 1,2 mil. Foto: PC

Policiais civis da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) prenderam, na manhã desta terça-feira (02), dois homens responsáveis pela receptação de baterias utilizadas em torres e armários de telefonia da empresa GVT, furtadas em Curitiba. Márcio Cristiano Lucca, 37 anos, e Rafael Otto Basso, 27 anos, foram presos numa loja de som automotivo, na Avenida Manoel Ribas, bairro Santa Felicidade, em Curitiba.

O delegado titular da DFR, Francisco Caricati, explicou que a equipe de policiais recebeu uma denúncia anônima de que as baterias estariam sendo vendidas naquela loja. “Foi checado e comprovado que eles praticavam a receptação e depois vendiam o material na internet”, contou.

Cada bateria, produzida especificamente para o uso de telefônicas, custa à empresa R$ 1,2 mil. “Eles as vendiam por R$ 290 para quem queria instalá-las no automóvel para ampliar o som do carro”, contou o delegado.

As investigações seguem em busca das pessoas que compravam as baterias dos receptadores e dos ladrões.