Por Felipe Ribeiro e Luiz Henrique de Oliveira

Após ajudar a Polícia Militar em uma operação de combate às drogas na Rua São Francisco, no Centro de Curitiba, o dono de um restaurante passou a ser ameaçado de morte e já viu o estabelecimento ser vandalizado duas vezes por traficantes nesta semana. Questionado pela Banda B nesta quarta-feira (7), Raphael Viana relatou que atua no espaço há dois meses e, diminuiu o período de funcionamento por medo.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

“Normalmente a rua já é complicada, com tráfico em plena luz do dia, mas vim aqui com um projeto diferente e intenção de melhorar a imagem da rua. Acredito na ocupação do Centro pelas pessoas, montei um projeto e investi todo o meu dinheiro, mas agora estou passando por isso”, lamentou.

A colaboração com as Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) aconteceu na última segunda-feira (5). Cerca de uma hora depois a saída da Polícia Militar, do local o primeiro grupo fez a ameaça e, de acordo com o relato, as pessoas se declararam como membros do Primeiro Comando da Capital (PCC). Armados, chegaram a quebrar algumas mesas e a máquina de cartão do local. A segunda ameaça aconteceu no dia seguinte, quando Raphael novamente abriu o estabelecimento. “Se identificando assim, eles disseram que a rua é deles e que eu era o ‘X’-9 da rua. Agora senti que o negócio está pegando e infelizmente posso ter que sair daqui. Investi todo o meu dinheiro aqui e se precisar sair, não vou ter renda e não vou poder pagar a pensão do meu filho. Ajudei a polícia e agora ou eles me matam ou se consigo ficar por aqui, é muito desagradável e difícil isso”, concluiu.

A Rua São Francisco, que começou como um espaço de integração jovem após a construção da Praça de Bolso do Ciclista, se tornou mais violenta nos últimos anos e vários comerciantes já deixaram o local por causa dos constantes assaltos. Outra preocupação é o intenso consumo de álcool por menores no trecho entre as ruas Riachuelo e Presidente Farias.

Em nota, a Polícia Militar confirmou que a equipe fazia uma operação na região para coibir o tráfico de drogas, bem como furtos e roubos. Durante a ação, Raphael indicou aos policiais dois rapazes em atitude suspeita, os quais foram abordados. De acordo com o Comandante da Rocam do 12º Batalhão, tenente Marco Antônio, com a dupla os policiais encontraram 11 tabletes de maconha e uma quantia em dinheiro. Depois, Raphael voltou até o destacamento da PM e informou havia sido ameaçada por usuários e traficantes que atuavam na região.

“Outra equipe da Rocam retornou no endereço e fez novas abordagens que resultaram em um adolescente encaminhados por ter um Mandado de Busca e Apreensão em aberto. Equipes da Polícia Militar pertencentes ao 12º BPM, unidade responsável pela região, tem feito abordagens e ações para coibir diversos crimes na região, bem como operações específicas contra o tráfico de drogas. A PM também reforça a necessidade de todos aqueles que forem vítimas de algum crime registrem a situação diretamente com a Polícia Civil que é a responsável por investigar os casos”, diz nota enviada à Banda B.

A Polícia Civil investiga o caso.