Por Marina Sequinel e Juliano Cunha

(Fotos: Juliano Cunha – Banda B)

A chefe do Distrito Sanitário da Cidade Industrial de Curitiba, Cíntia Calixto, afirmou à Banda B que, mesmo com os frequentes arrombamentos na Unidade de Saúde Taís Viviane Machado, a equipe não vai desistir de trabalhar no local. Na madrugada desta terça-feira (22), criminosos invadiram o posto pela terceira vez em sete dias e levaram até a porta de alumínio do espaço utilizado para o atendimento dos pacientes.

“Os grandes prejudicados nessa situação é a própria população. É muito triste a gente chegar no trabalho e ver as coisas desse jeito. Nós já pedimos ajuda e não sabemos mais o que fazer”, disse Cíntia. Na última ação, os assaltantes fugiram com 30 cadeiras, um aparelho de TV, um monitor, uma CPU e colchonetes onde os idosos praticam exercícios. Em outra ocasião, eles roubaram a bomba a vácuo dos dentistas.

“É complicado, nós lutamos para ter essa unidade funcionando e agora ela está desse jeito. Apesar de tudo isso, a gente não vai desistir de trabalhar aqui. A equipe é muito unida e nós trabalhamos por amor, pela comunidade”, concluiu a chefe do Distrito.

Dados

A Prefeitura de Curitiba informou que, nas últimas semanas, foram registrados vários outros casos de assaltos. Só na Cidade Industrial de Curitiba, em 40 dias aconteceram 11 invasões em quatro unidades de saúde diferentes. A Unidade de Saúde Barigui registrou sete boletins de ocorrência desde o dia 23 de fevereiro. As unidades Oswaldo Cruz e Vila Verde também foram alvo de bandidos. A Escola Professora América da Costa Sabóia, na Vila Verde (CIC), também foi invadida na semana passada.

Em nota, a Prefeitura informou que entende que os assaltos refletem uma situação de insegurança que atinge a comunidade como um todo, e que infelizmente não pode ser contida apenas com a ação da Guarda Municipal, que exerce o papel de Guarda Cidadã, de caráter prioritariamente preventivo.

Cabe à Polícia Civil fazer a investigação dos crimes e à Polícia Militar o patrulhamento ostensivo e repressivo. Mesmo sabendo do momento de dificuldade financeira que atravessam as forças de segurança no Paraná, o secretário municipal de Governo, Ricardo Mac Donald Ghisi, pediu à Polícia Militar reforço no policiamento no entorno de equipamentos públicos e à Polícia Civil a apuração rigorosa dos casos, com base nos boletins de ocorrência registrados pelas gerências dos equipamentos municipais atingidos.

Notícia relacionada

Unidade de Saúde na CIC é alvo de arrombamentos e assaltantes levam até porta de alumínio do local