Após a rebelião da noite da última quarta-feira (10), a Delegacia de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, corre até um risco de ser interditada. Segundo o delegado Fábio Amaro, existe uma ação civil pública aberta no ano passado nesse sentido e que se algo não for feito, existe um risco muito grande de acontecer um novo desastre em breve.

“Esperamos que seja tomada uma medida rigorosa para tirar esses presos dessa carceragem, senão poderemos ter outra tragédia aqui. A liminar foi cassada e estávamos com 108 detentos ocupavam um espaço para 16 presos no dia da rebelião”, disse.

Para o delegado, algo precisa ser feito com urgência, já que a situação colocou todos do local com risco de vida. “Aquilo virou um verdadeiro palco de guerra e contou até com o apoio de um agente, esses presos precisam ser retirados para que possamos trabalhar normalmente e evitar a interdição”, comentou

O investigador baleado durante a investigação, segundo Amaro, permanece em estado estável no Hospital do Trabalhador. “Ele está em estado estável e esperamos que em breve possa estar novamente ao nosso lado trabalhando na solução de crimes”, concluiu.