Da Redação

Fotos: Monique Vilela - Banda B e Divulgação

Fotos: Monique Vilela – Banda B e Divulgação

A delegada Gleide Ângelo, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Recife, disse na noite desta sexta-feira (3) que será difícil identificar quem arremessou o vaso sanitário que atingiu e matou um homem que estava na torcida do Paraná Clube. Em entrevista ao Diário de Pernambuco, a delegada disse que a investigação terá como base o depoimento de testemunhas e análises da perícia. O fato de no local não haver câmeras de segurança podem dificultar o trabalho da polícia.

“É difícil identificar a pessoa que fez isso nas condições apresentadas”, disse a delegada. Ainda segundo ela, a família da vítima soube do ocorrido ainda nesta no começo desta madrugada deste sábado.

Segundo Gleide Ângelo, a mãe do rapaz, que não teve o seu nome divulgado, está bastante fragilizada emocionalmente e sem condições de falar com ninguém. “Ela está muito abalada. Ainda sem acreditar no que aconteceu”, concluiu.

Paulo Ricardo Gomes da Silva, de 26 anos, era torcedor do Sport e membro da torcida organizada aliada da Fúria Independente, organizada tricolor.

Notícia Relacionada:

Torcedor morre atingido por vaso sanitário na saída do jogo entre Santa Cruz e Paraná