Da Redação

Após uma paralisação de 24 horas, os policiais civis de todo o Paraná voltam aos trabalhos nesta quarta-feira (14). Uma assembleia marcada para as 18h30, na capital, e deve definir os rumos do movimento e até mesmo deflagrar uma greve geral. A paralisação desta terça foi motivada pela fuga de presos na Delegacia de Colombo, na qual um agente de cadeia foi morto.  O ato acontece em protesto a manutenção de presos em delegacias do estado e contra as condições de trabalho que os policiais civis enfrentam.

Segundo o presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Paraná (Sinclapol), o movimento desta terça-feira foi muito bom e Curitiba teve 100% de mobilização. “Voltamos aos trabalhos normais a partir da zero hora e aguardamos como a categoria irá definir os rumos da paralisação amanhã”, disse.

Em entrevista à Banda B na manhã de hoje, o delegado-geral Riad Braga Farhat disse que a situação nas delegacias do Paraná é inaceitável, mas garantiu que o governador Beto Richa (PSDB) demonstra vontade em resolver o problema. “O departamento da Polícia Civil vê com respeito, porque é uma reivindicação justa. É uma paralisação para chamar a atenção da população e da imprensa sobre os problemas graves nas carceragens”, disse.

Transferência

Ainda hoje os 12 presos que continuavam na Delegacia de Colombo foram transferidos para a Casa de Custódia de Piraquara. No domingo, 70 detentos já tinham sido transferidos por determinação do governo. O local estava superlotado, com 84 detentos em um espaço para 24.