Reprodução Facebook

 

O corpo do passageiro baleado durante um arrastão contra ônibus foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba no começo da tarde desta segunda-feira (12). De acordo com amigos, a família de Joseildo Marcelino de Sousa, de 37 anos, é bastante humilde e foi necessária uma vaquinha para o transporte do corpo até o interior da Paraíba. Ele foi baleado na noite da última quinta-feira (8), durante um arrastão na linha Rurbana/Pompéia, no bairro Tatuquara.

Amigo da vítima, Fabiano Varela contou que Joseildo morava há alguns anos em Curitiba e trabalhava com processamento de coco. “É complicado, ele era trabalhador e batalhava muito para pagar o aluguel. Não bebia e não fumava e é triste saber que alguém teve coragem de atirar para matar dessa forma”, lamentou.

Segundo Varela, os amigos contribuíram com o quanto puderam para o transporte. “Foi R$ 20, R$ 50, todo mundo ajudou como pôde”, disse.

O corpo deve ser transportado até Fortaleza, capital do Ceará, ainda nesta segunda. Logo após, a família já conseguiu uma funerária para o local do velório, a cidade de Sousa, no interior da Paraíba.

Joseildo morreu no fim da tarde de sábado (10) no Hospital do Trabalhador.

Investigação

Os suspeitos que cometeram o crime, um jovem de 19 anos e um adolescente, foram detidos pela Delegacia de Furtos e Roubos. Preso no sábado, o jovem Andrey Lobo confessou para a polícia que atirou contra Joseildo, justificando a reação dele como a motivação. “Atirei só mesmo porque ele reagiu. Eu fiquei sabendo que ele está na UTI na Banda B, pelo jornal”, afirmou, antes de saber da morte da vítima.