O coronel Roberson Bondaruk, comandante geral da Polícia Militar do Paraná, está cansado de lutar contra um inimigo “invisível”: as redes sociais e aplicativos de celulares usados para avisar sobre blitz em Curitiba. Em entrevista à Banda B,nesta quinta-feira (18), Bondaruk fez uma reflexão e lembrou que quem avisa de uma blitz pode até se tornar uma vítima na esquina seguinte.

Banda B
Comandante criticou aplicativos que avisam blitz

“Realmente há um prejuízo considerável, porque as pessoas desviam e pegam outras rotas. Imagine uma pessoa com drogas ou um rapaz pronto para realizar um assalto, sabendo da blitz ele foge e a pessoa que avisou pode colocar sua própria família em risco. Ou então, aquele motorista embriagado que fugiu pode atropelar o filho de uma pessoa que postou a mensagem na rede social”, disse o comandante da PM.

Bondaruk garantiu que a PM está trabalhando para combater isto. “Temos estratégias para conseguir enganar estes internautas, mas o importante é lembrar que a polícia está aqui para ajudar a população de bem. Quem faz isto, pratica um crime e a partir do momento que há identificação as pessoas podem ser indiciadas. Estamos monitorando as redes sociais e quem tenta atrapalhar nosso trabalho já está sendo punido”, afirmou.

Quem quiser fazer denúncias quanto a este tipo de ação na rede social pode entrar em contato com a PM pelo telefone 190.