Por Denise Mello e Daniela Sevieri

mortes

Foram 4 mortos e uma criança ferida – Foto: Colaboração Banda B

chacina

Três morreram no veículo

Quatro pessoas foram assassinadas a tiros no Bairro Alto, em Curitiba, na noite desta quinta-feira (18). Uma criança foi baleada na perna e foi socorrida com vida por familiares até o hospital. A chacina aconteceu na rua Sebastião Alves Pereira esquina com a Marcílio Dias. De acordo com informações da Polícia Militar, a princípio, o motivo da chacina pode estar relacionado ao tráfico de drogas. Os quatro mortos, que tinham passagem por tráfico, estavam dentro de uma casa de carnes comendo espetinhos.

Três das vítimas teriam sido assassinadas em um veículo Megane preto por dois homens que chegaram em outro carro. A quarta vítima morreu dentro da casa de carnes em frente, local onde ainda tentou se abrigar. Testemunhas relataram que um homem, que teria relação com o tráfico de drogas, estaria ao volante com outros três amigos quando os atiradores chegaram. O motorista e o amigo no banco do passageiro morreram na hora. Outro ocupante morreu do lado de fora e a quarta vítima tombou dentro do açougue.

“As vítimas estavam saindo do estabelecimento, já dentro do carro, quando os atiradores chegaram. Um correu de volta e morreu dentro do açougue. Como o vidro do comércio tem uma película escura que faz com que quem esteja do lado de dentro não veja direito o lado de fora, temos poucas informações sobre as características dos atiradores”, informou o delegado Rick Wermelinger, da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

A criança de cinco anos, que não estava com o grupo, foi atingida com uma bala perdida na perna. Ela estava no local com a avó e o tio, que comiam espetinhos.  “Essa criança estaria brincando em  um cavalinho da lado de fora e, ao ouvir os tiros, achou que eram bombinhas e correu pra ver. Foi então que foi baleada”, disse o delegado. O tio levou o menino no próprio carro para o hospital e, no caminho, encontrou com a ambulância do Siate. O médico prestou atendimento e encaminhou o menor até o Hospital Cajuru sem risco de morte.

A DHPP investiga a chacina e ainda não revelou a motivação das mortes. O tráfico de drogas é uma possibilidade. Os corpos foram recolhidos ao Instituto Médico Legal para identificação.