Da Polícia Civil

Cem policiais estão nas ruas desde às 6 horas da manhã desta quarta-feira (7), para cumprir mais de 20 mandados de prisão em Curitiba. O alvo da Operação GPSII são pessoas monitoradas por tornozeleira eletrônica, mas que descumpriram alguma regra imposta pela Justiça para a concessão desse benefício.

torno

(Foto: EBC)

A maioria dos condenados responde pelo crime de roubo e entre as violações mais comuns ao uso do equipamento eletrônico está o rompimento do lacre de segurança e o fim da bateria de forma reinterada que provoca o desligamento do aparelho, o que é proibido.

O secretário de Segurança Pública do Estado do Paraná (SESP), Wagner Mesquita de Oliveira, disse em entrevista coletiva que a maioria deles responde por crime de natureza patrimonial, furtos e roubos. “Todos eles violaram a decisão do juiz, que quando dá essa decisão de aplicação de uma medida como essa, determina quais são os locais e horários que o apenado, então, deve cumprir. Qualquer medida de violação ou de interrupção de sinal é visto pelo sistema e o juiz volta a analisar o caso”, disse, em entrevista coletiva.

Os mandados de prisão foram expedidos após agentes penitenciários, responsáveis pelo monitoramento, relatarem ao Poder Judiciário as infrações cometidas no uso das tornozeleiras.

A operação é coordenada pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) e tem o apoio das Polícias Civil e Militar e do Departamento Penitenciário do Paraná.

A ação policial conta com a participação de 45 policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) – unidade de elite da Polícia Militar do Paraná e outros 45 do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE) – unidade de elite da da Polícia Civil do Paraná além de dez do CICC.