Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique


Seis carretas que foram apreendidas em operações da Delegacia de Estelionato e Desvios de Cargas (DEDC) e deixadas nas ruas ao redor estão deixando os moradores bravos. O local fica na rua Araguaia esquina com a rua Professora Antônia Reginato Vieira, no bairro Capão da Imbuia. Caminhões e carretas estão estacionados nas duas margens da rua, bloqueando a passagem dos pedestres.

De acordo com os moradores, os veículos de transporte de carga estão estacionados no local há, pelo menos, um ano. “Tem uns mais recentes, outros há meses aqui. Isso atrapalha muito quem mora aqui perto por impede a passagem de quem passa a pé, de carro, de bicicleta. Se vem dois carros juntos, na direção contrária, não consegue passar. Eles precisam reduzir e um passar primeiro. Precisam achar um lugar decente”, disse o aposentado Joelson Leite, 68 anos, que estava de bicicleta andando pela rua.

A delegacia é próxima ao cruzamento e não tem pátio para abrigar as carretas e caminhões apreendidos. O pintor Tomas Kemendorc, 32 anos, que mora na região disse que o problema maior são as mulheres com carrinhos de bebês e idosas.

“Elas passam rente aos caminhões. Podem ser atropeladas, é um perigo. Algumas carretas estão cedendo porque como estão com parte da estrutura em cima de grama, depois da chuva, eles ficam desniveladas. Fora que o asfalto fica comprometido e tudo mais”, finaliza.

Outro lado

A Polícia Civil informou à Banda B que a estadia dos caminhões e carretas no local não depende exclusivamente das ações da DEDC, já que há processos judiciais em torno das apreensões. Entre os exemplos, um dos veículos aguarda laudo após alteração de chassi; outro espera por um processo na seguradora. O delegado Marcelo Lemos de Oliveira alerta que os processos são lentos, mas que as apreensões também demonstram um bom trabalho da equipe de policiais.