Por Felipe Ribeiro

A advogada Leticia Viviane Picão, de 27 anos, que denunciou as agressões que teria sofrido pelo ex-namorado Syllas Pinheiro, afirmou nesta quinta-feira (8) que a confissão de uma traição motivou a briga que terminou na Delegacia de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. Pinheiro, que também é advogado, foi candidato a vereador na última eleição e não conseguiu se eleger. Ele afirma que foi vítima de uma armação.

advogada

Advogada mostrou ferimentos em rede social (Reprodução)

Em entrevista à Banda B, Leticia disse que foi até a casa dele para buscar um livro e aproveitou para questionar sobre uma possível traição dele enquanto o casal ainda namorava. “Como a gente não tem mais nada, eu perguntei e ele disse que realmente ficou com essa menina durante o nosso relacionamento. Como já estávamos encerrando nossa sociedade no escritório, perguntei o que ele queria para sair e falei sobre a falta de confiança. Tivemos então uma discussão um pouco mais acirrada e ele partiu para cima de mim”, descreveu.

Com o pedido de socorro, uma vizinha teria entrado em contato com a polícia. Letícia garante que durante as agressões foi ameaçada de morte várias vezes. “Ele tampava minha boca e dizia que não queria sujar a reputação, nem que para isso precisasse me matar. Eu nunca quis prejudicar a reputação dele, só fui a público para esclarecer uma mentira”, afirmou.

Pinheiro foi autuado em flagrante nesta quarta-feira (29), com base na Lei Maria da Penha. A prisão aconteceu na Delegacia de Fazenda Rio Grande após a suposta agressão. Ele foi autuado por lesão corporal e ameaça pela violência contra a ex-namorada. Leticia realizou o exame de corpo de delito.

Versões diferentes

Pela manhã o delegado Fabio Machado, disse que as versões são diferentes e testemunhas estão sendo ouvidas para esclarecer o que aconteceu. “O advogado chegou aqui na delegacia conduzido por policiais militares após uma discussão com a ex-namorada e ex-sócia, que também é advogada. Ela também veio para cá e constatamos hematomas no rosto e na boca. Ele também tem marcas de lesões no corpo. Ele alegou que tudo foi uma armação da ex-namorada que era sócia dele no escritório e queria ficar com tudo no escritório após o fim do relacionamento. O advogado diz que ela partiu pra cima dele com mordidas e socos e ele se defendeu. Vamos apurar as duas versões”, diz o delegado.

À Banda B, o Syllas afirmou que tudo foi uma armação pelo escritório. “Logo depois que não fui eleito, ela quis terminar o relacionamento e estávamos redigindo um contrato para acabar com a sociedade no escritório de advocacia. Na quarta-feira ela veio até minha casa, disse que queria se despedir, me abraçou e saiu. No carro, resolveu voltar e começou a gritar dizendo que tinha hackeado meu computador e que eu teria a traído. Partiu pra cima de mim, me batendo e eu comecei a tentar me desvencilhar. Tenho marcas de agressões no corpo tentando me livrar dos ataques. Foi tudo uma armação para ela ficar com todo o escritório”, disse o advogado.

O delegado arbitrou fiança de um salário mínimo ao advogado.

Notícia Relacionada: