Os Policiais Civis da Delegacia de Araucária, região metropolitana de Curitiba, estão desde a última quinta-feira (28) na caça de Luiz Rogério Moraes, o Carlinhos, acusado de ser o mandante da chacina que matou quatro homens na região da Invasão da Portelinha. Além dele, outros três suspeitos foram identificados e devem ser presos nos próximos dias.

Morreram na chacina: Décio Gonçalves de Souza, de 35 anos, Josenildo da Silva, 17, Marcelo Natalino dos Santos, 34, Marco Vaz Neves, de 34. Eles estavam indo trabalhar quando foram abordados pelos assassinos, que estavam em uma caminhonete preta e em três motocicletas. No crime, até uma metralhadora foi usada.

Em entrevista à Banda B, nesta terça-feira (2), o delegado Amadeu Trevisan confirmou que Carlinhos tinha como alvo apenas uma das vítimas fatais. “Sem dúvida ele queria matar o Décio e os outros morreram de graça. Estudo inquéritos policiais deste suspeito e posso afirmar que ele é alguém sem escrúpulos e que trata a vida com descaso. Estamos empenhados em prendê-lo”, destacou o delegado.

Quanto à motivação para o assassinato, Trevisan acredita em algo relacionado a problemas de relacionamento entre Carlinhos e Décio. “O Décio esteve preso e o Carlinhos achou que ele tinha o delatado à polícia. Antigamente os dois eram parceiros no crime, mas nos últimos meses o Décio não queria mais ser mandado pelo Carlinhos”, descreveu.

Segundo o delegado, além de Carlinhos, três suspeitos foram identificados. “São todos comparsas do traficante. Nossas equipes estão em operações para prendê-los. Queremos ter novidades em breve”, contou o delegado.

Por fim, o comandante da Delegacia de Araucária descreveu que prender Carlinhos é uma questão de honra e que a população da Invasão Portelinha merece isto. “Ele é o terror deste local e vai responder pelo o que já fez”, finalizou.