Por Felipe Ribeiro e Bruno Henrique

Menos de duas horas após o atentado que matou um menino de doze anos, a Polícia Militar determinou na tarde deste sábado (8) o bloqueio total da Vila das Torres, no bairro Prado Velho, em Curitiba. De acordo com a decisão do comandante do 12° Batalhão da Polícia Militar, tenente Cantador, a partir deste momento todas as pessoas que entrarem e saírem da Vila passarão por revista e averiguação. Durante o atendimento do menino, uma viatura da PM foi apedrejada no local.

tenentecantadorTenente Fabris e tenente Cantador (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

Já há algum tempo a Vila das Torres vive uma “guerra” entre duas gangues, a Turma de Cima e a Turma de Baixo, que aterrorizam os moradores e aumentaram brutalmente o número de crimes na região. Apenas nesta semana, duas crianças morreram baleadas e uma segue em estado grave na UTI.

Pelo decreto do tenente Cantador, todos os policiais do batalhão retornam imediatamente ao trabalho para uma grande operação na vila. Entre as equipes estão o Bope, a Rone e a Rotam. Oitenta policiais militares já estão no entorno para iniciar a operação. Aqueles que estavam de folga no litoral também já pegaram a estrada e retornam para um trabalho que não tem prazo para acabar.

“Prendemos 15 pessoas nos últimos dias e a maioria já está em liberdade, vamos ver se assim conseguimos um resultado mais efetivo”, disse o tenente Cantador.

O helicóptero do Grupamento Aéreo também já presta apoio aos policiais.

Notícias Relacionadas:

Menino de 12 anos morre e menina de 7 é baleada no rosto em atentado na Vila das Torres

Suspeito de matar menino de 7 anos na Vila Torres por dívida é preso e reconhecido por testemunhas