Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Após um interrogatório que se iniciou na noite deste sábado (13) e terminou no início da manhã deste domingo (14), os suspeitos de terem estuprado a menina Tayná Adriane da Silva, 14 anos, podem ser soltos. Tudo aconteceu após os quatro serem levados à sede da secretaria estadual de Segurança Pública (Sesp) para prestarem depoimento. Nisso, o advogado de defesa, Roberto Rolim de Moura Júnior, chegou ao local alegando que não havia sido comunicado do evento e que seus clientes deveriam permanecer calados. Diante da recusa de um dos clientes que exigia dar a sua versão, o advogado foi destituído do cargo.

De acordo com promotor Paulo Sérvio Markowicz de Lima, que acompanha o caso em nome do Ministério Público, até o depoimento não existia em nenhum inquérito policial com a fala deles se colocando como inocentes e como em depoimentos para o MP eles se colocaram dessa forma, era importante ouvi-los. “Nós não podíamos compactuar com a possibilidade deles não poderem se colocar como inocentes já que queremos ver os verdadeiros culpados na cadeia. Como faltam provas devemos pedir ainda neste domingo a liberdade deles”, disse.

O presidente da comissão de prerrogativas Ordem dos Advogados do Brasil secção Paraná (OAB-PR), Edward Carvalho, afirmou que a atitude do advogado ao interromper o depoimento foi contra qualquer direito do seu cliente à liberdade e que o órgão institui um advogado para auxiliá-los. “A OAB tem uma missão institucional de defender seus advogados, mas antes de tudo temos que defender os cidadãos e a Constituição. Eu nunca havia visto isso, o Dr. Rolim estava coagindo seus clientes do direito de saírem da cadeia”, comentou.

A advogada da Comissão de Direitos Humanos da OAB Brasil, Isabel Kügler Mendes, afirmou em entrevista à Banda B, que o advogado Rolim justificou para ela que a atitude teve como fim a medida dele não entrado com pedido de liberdade aos acusados. “Ele me disse que fez isso pela segurança dos presos, uma vez que existe o medo de como a sociedade pode reagir ao ver eles do lado de fora”, disse.