Isabelly morreu aos 14 anos (Reprodução Facebook)

 

Responsável pela defesa dos irmãos Everton e Cleverson Vargas, o advogado Cláudio Dalledone rechaçou em entrevista à Banda B nesta sexta-feira (16) a versão de que uma briga de trânsito teria resultado na morte da youtuber Isabelly Cristine Santos, de 14 anos. De acordo com ele, o que aconteceu foi uma tentativa de abordagem ao veículo em que os irmãos estavam, o que motivou uma defesa por parte de Everton.

“Eu tenho um filme, uma gravação sobre o que aconteceu. Está filmado e a versão deles corrobora diretamente com isso. Tenho ainda o ponto de impacto dos projéteis da arma de fogo que comprovam cientificamente o que aconteceu. Não teve nenhuma briga de trânsito, teve sim uma abordagem mal sucedida a esse carro. Criminosamente o carro em que a menina estava ultrapassou pela direita, deu um cavalo de pau em uma rodovia e essas pessoas abordaram um veículo que tinha uma arma ilegal dentro, onde houve a reação”, afirmou Dalledone.

Sobre a arma, o advogado confirmou que Everton estava com a arma em situação irregular, mas garantiu que estava com ela como forma de defesa. “Ele não é bandido, é um trabalhador que estava com a família no carro e quis usá-la como proteção. Ele nunca passou por uma delegacia e a arma estava registrada, inclusive ele podia transportar do estande para casa e de casa para o estande. Ele estava numa situação irregular, sim, mas estabelecer que é um bandido por isso, alto lá”, defendeu o advogado.

A família também nega que o disparo tenha sido motivado por uma briga de trânsito, mas dá outra versão para o ocorrido. Segundo a mãe de Isabelly, Rosania Domingos Santos, não houve discussão, xingamentos, troca de ofensas e nada que pudesse caracterizar como briga de trânsito. Para a Banda B, Rosania disse que o carro do atirador estava atrás do deles na PR-412, próximo ao Balneário Shangrilá, em Pontal do Paraná, quando o empresário teria e fechado o carro da família.

Por fim, Dalledone disse que não irá pedir a revogação da prisão preventiva dos suspeitos no momento, mas que fará sim o pedido de habeas corpus diretamente ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). “Lá sim terei vez e voz para explicar porque eles merecem e têm direito de responder em liberdade. Seria incoerente e infantil uma juíza que decretou ontem, revogar a prisão hoje”, disse.

Os irmãos Vargas estão detidos na Delegacia de Pontal do Paraná, à disposição da Justiça.

Confira o vídeo registrado por uma câmera de segurança no momento do acidente:

Notícia Relacionada: