Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

jucoski

Suspeito de ter assassinado Cláudia confessou o crime. Foto: Polícia Civil/Militar

O homem acusado pela morte de Cláudia Biguetti, de 47 anos, em uma chácara da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), no bairro Contenda, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, foi preso na noite deste sábado (7). Diego Paulino Jucoski, 30 anos, foi preso no Terminal do Guadalupe, em Curitiba. A vítima era responsável por uma Organização Não Governamental (ONG) para crianças com problemas motores e foi morta a facadas.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a prisão aconteceu por volta das 20 horas e o suspeito não reagiu. “Recebemos informação de uma pessoa que não quis se identificar, dizendo que esse cidadão estava no Terminal do Guadalupe, que prontamente acatou a ordem da polícia”, explicou o sargento Pelosi da Polícia Militar (PM), que participou da prisão.

O corpo de Cláudia foi encontrado na madrugada do dia 25, mas, pelas investigações, já estava morta há, pelo menos, quatro dias. De acordo com as investigações, o golpe contra a assistente social aconteceu durante o café da manhã. Jucoski também é acusado de matar a facadas ex-mulher, Fabiana Buchuk Cordeiro, 20 anos, estava grávida.

“Durante o encaminhamento dele acabou contando alguns detalhes sobre o crime contra a responsável pela ONG. Ele confessou o crime, disse que no dia ele estava trabalhando na ONG quando aconteceu uma discussão e ele acabou esfaqueando a vítima. Disse ainda que estava drogado e que esse seria o motivo da discussão”, fecha o sargento Pelosi.

Notícia Relacionada:

Responsável por ONG é assassinada em chácara da UTFPR; suspeito fugiu com carro dela

Mulher encontrada em chácara da UTFPR já estava morta há 4 dias e assassino pode ser conhecido

Coordenadora de ONG tomou café com assassino antes de morrer; ele está foragido