Da SMCS

A Secretaria Municipal da Saúde começou nesta terça-feira (22) a Campanha de Vacinação contra Influenza nas 109 unidades de saúde do Município e em um posto especial instalado na Boca Maldita. A previsão é de vacinar, no mínimo, 310 mil pessoas em Curitiba – o equivalente a 80% do total de pessoas que formam os grupos mais vulneráveis à doença.

vacina

Foto: SMCS

De acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde, o público alvo para receber a vacina contra a gripe aumentou este ano, com a ampliação da faixa etária de crianças que devem receber a dose, que agora vai até os 5 anos incompletos.

Além das crianças – entre seis meses e 4 anos, 11 meses e 29 dias – também fazem parte do público alvo da campanha nacional de vacinação gestantes, pessoas com 60 anos ou mais, mulheres até 45 dias após o parto (em puerpério), indígenas, pessoas privadas de liberdade, profissionais de saúde, além dos doentes crônicos.

Dentro das metas para cada um dos grupos vulneráveis (80% desses públicos), a previsão é vacinar aproximadamente 160 mil pessoas com 60 anos ou mais de idade; 81 mil crianças com idade de seis meses a menores de 5 anos (30 mil de seis meses a 2 anos e 51 mil de dois a menores de 5 anos); 15 mil gestantes e 2,5 mil mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias.

O aposentado Renato Escorsin, de 70 anos, aproveitou que estava no Centro para passar na tenda montada no calçadão da Rua XV e garantir a sua vacina. “A vacina é uma segurança. Desde que comecei a tomar, não peguei gripe”, contou. Já Ada Menezes garantiu que sempre se prepara para ir ao Centro tomar a vacina já no primeiro dia da campanha. “Já conheço os profissionais que trabalham aqui e venho para me prevenir da doença logo no começo”.

Locais de vacinação

A população tem entre os dias 22 de abril e 9 de maio para receber a vacina. Na cidade, as doses da vacina estarão disponíveis nas 109 unidades básicas de saúde até o dia 9, além de uma barraca montada na Boca Maldita, que funcionará entre os dias 22 e 26 de abril, das 9h às 17 horas. No sábado (26), data da mobilização nacional, a vacinação estará acontecendo em várias unidades de saúde e em pontos estratégicos.

A diretora do Centro de Epidemiologia da Secretaria, Juliane Oliveira, explica que a definição dos grupos prioritários para receber a vacina é feita pelo Ministério da Saúde, de acordo com os riscos de evolução do quadro gripal. “Além de reduzir a mortalidade, a vacina contra a gripe é capaz de prevenir as complicações e as internações hospitalares decorrentes das infecções provocadas pelo vírus Influenza”, salienta.

Juliana explica que a Influenza é uma infecção viral que afeta o sistema respiratório, principalmente nariz, garganta e brônquios. “A transmissão é bastante elevada em ambiente domiciliar, creches, escolas e em ambientes com pouca circulação de ar”, comenta. Ela lembra que as estratégias de prevenção à gripe não se limitam à vacinação. “Manter os ambientes bem ventilados, fazer a lavagem e a assepsia das mãos, além de buscar tratamento médico logo no início dos sintomas da gripe são tão importantes quanto à imunização”, destaca.

A vacina que estará disponível na rede pública protege contra os três tipos de vírus mais comuns no país: Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B. Os principais sintomas da gripe são calafrios e febre que podem ser acompanhadas por dores no corpo, tosse, espirros, cefaléia, dor de garganta, congestão nasal, irritação nos olhos, entre outros.

Documentação

Para receber a vacina em qualquer uma das unidades de saúde de Curitiba ou nos postos que estarão montados no sábado (26), as pessoas devem levar os seguintes documentos:

Idosos: carteira de identidade;

Crianças de seis meses a 5 anos de idade: registro de nascimento ou a carteira de identidade e a carteirinha de vacinação;

Grávidas: é suficiente apenas que a mulher afirme estar grávida;

Mulheres até 45 dias após o parto: carteirinha de gestante e o documento do bebê;

Portadores de doenças crônicas: devem comparecer munidos de solicitação ou prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes já cadastrados em programas do SUS devem se dirigir à unidade de saúde onde estão cadastrados para receber a vacina.

Profissionais de saúde: serão vacinados, prioritariamente, nos hospitais ou nas unidades básicas de saúde onde atuam, ou nos postos de vacinação, mediante apresentação de carteira de registro profissional no órgão de classe. Outros trabalhadores de clínicas e consultórios (clínica geral, clínica médica, pediatria, otorrinolaringologia, obstetrícia, pneumologia e infectologia) que atendem casos de gripe podem procurar as unidades de saúde munidosde declaração do médico responsável pelo serviço onde o profissional atua.

Indígenas: serão vacinados pela equipe da SMS;

Pessoas privadas de liberdade: serão vacinadas pela equipe da Secretaria Municipal de Saúde.