Da Redação

Faltando uma semana para a Copa do Mundo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta quinta-feira o resultado final do projeto-piloto de categorização de restaurantes, que avaliou a qualidade sanitária de estabelecimentos em 12 cidades-sede da Copa do Mundo. Em Curitiba, foram inspecionados inicialmente 176 estabelecimentos (entre bares, lanchonetes e restaurantes), que receberam uma primeira classificação.

restaurante2Foto: Divulgação

Nesta primeira fase, sete estabelecimentos foram reprovados na categorização e acabaram recebendo aviso de infração pela Vigilância Sanitária. Outros 29 estão fechados ou em reforma, por isso não aparecem nesta relação. “Esses restaurantes que não conseguiram se adequar é porque apresentaram alguma pendência, seja na organização e limpeza, controle de tempo e temperatura ou manipulação de alimentos, por isso receberam multa e prazo para se adequar”, explica o diretor de Saúde Ambiental da Secretaria Municipal da Saúde, Luiz Armando Erthal. Esses estabelecimentos receberam um prazo para fazer adequações antes da segunda inspeção, que determinou o resultado final divulgado nesta quinta-feira (05).

Os locais reprovados pela pesquisa foram Albatroz, Clube do Malte, Costelão do Gaúcho (Rua Mateus Leme), Engenho de Minas, Mondo Birre, Mr. Green e Pata Negra.

O objetivo do projeto é fornecer aos consumidores acesso a informações sobre o desempenho dos serviços de alimentação na inspeção sanitária, com base em critérios de risco, que abrangem não somente questões de higiene, mas também boas práticas de manipulação, conservação e armazenamentos dos alimentos.

Na primeira fase, apenas 7% dos estabelecimentos foram classificados na categoria A (excelente) e 51% dos participantes estariam classificados na categoria B. Agora, na classificação final 64 estabelecimentos ficaram na categoria A, 58 na categoria B e 15 na categoria C.

Rotas

Os estabelecimentos inspecionados em Curitiba fazem parte de seis rotas gastronômicas da cidade: Santa Felicidade, Juvevê, Centro Histórico, Avenida das Torres, Mateus Leme e Batel.

A classificação A, B e C utilizada na categorização dos restaurantes é a mesma usada em outros países. “Propositadamente utilizamos a mesma nomenclatura utilizada em outras partes do mundo, para ficar uma linguagem universal e acessível a todos os turistas”, ressalta Erthal.

Continuidade

Em agosto, a Vigilância Sanitária de Curitiba dará continuidade ao trabalho de categorização dos bares e restaurantes, priorizando outros locais que não estão na rota gastronômica. “Este projeto da Anvisa é válido até agosto mas nós, em Curitiba, estamos nos preparando para dar continuidade a este projeto e trabalharmos com outros locais. É um serviço importante para os restaurantes porque ajudam a melhorar suas instalações e manejo que tem com os alimentos e dá mais segurança para a população”, diz Erthal.