Felipe Ribeiro e Geovane Barreiro

Os servidores estaduais da saúde do estado do Paraná podem entrar em greve no próximo sábado (29). Em entrevista ao radialista Geovane Barreiro na tarde desta terça-feira (25), a tesoureira do  SindSaúde, Soraia Reda Gilber, afirmou que a reunião realizada hoje foi um avanço, mas ainda falta muito para que os servidores se sintam satisfeitos. “O governo deixou de nos atender desde o momento que assumiu o mandato, nós tentamos negociar, mas não temos obtido respostas. Hoje tivemos alguns avanços, como a validação da declaração médica como atestado e a mudança no VT para o auxílio transporte diretamente no contracheque, que agora só precisa ser aprovado pela Assembleia Legislativa”, comentou.

Segundo Soraia, muitos servidores têm deixado a carreira no estado por não verem perspectiva de avanço, o que dificulta o trabalho dos que ficam. “Precisamos de um plano de carreira que valorize o servidos, hoje existe muita sobrecarga em uma estrutura precária”, disse.

Nesta terça-feira, os servidores estaduais da saúde pararam suas atividades, em oito hospitais públicos do Paraná. Os servidores interromperam as atividades durante 12 horas, das 7h até às 19h.

Lapa

Questionada sobre a situação da Lapa, na região metropolitana de Curitiba, o hospital do município é talvez aquele com a situação mais precária. “Temos vivido situações terríveis lá. A empresa que venceu a licitação abandonou a obra e não existem condições de continuar. A população está desassistida lá, já que a pediatria ficou desativada desde então. A criança que precisa de um internamento precisa se direcionar para outra cidade”, comentou.

Resposta

Em nota, a secretaria estadual da Saúde informou que não houve paralisação nos serviços de saúde estaduais. Na manhã desta terça-feira (25) o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, e a secretária estadual da Administração e Previdência, Dinorah Botto Portugal Nogara, receberam representantes do SindSaúde numa reunião pré-definida, que faz parte de uma agenda permanente com a categoria. Houve manifestações pontuais do sindicato em alguns hospitais do Estado, o que não afetou o atendimento à população.

Em Curitiba, o Hospital do Trabalhador e o Centro de Reabilitação mantiveram atividades normais.

Notícia Relacionada:

http://hom.bandab.com.br/jornalismo/servidores-da-saude-paralisam-atividades-em-oito-hospitais-publicos-do-estado/