Por SMCS

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, enviou à Câmara Municipal de Curitiba, nesta segunda-feira (24), um projeto de lei para abertura de crédito adicional especial para contratação de médicos, em caráter emergencial e por tempo determinado, para atuar nas unidades de saúde da capital paranaense.

Serão necessários R$ 6,2 milhões para despesas de contratação de médicos para ocuparem as 60 vagas abertas atualmente na Atenção Primária à Saúde, proporcionando a manutenção da oferta de serviços assistenciais na rede pública de saúde de Curitiba. Os médicos contratados irão trabalhar nas unidades básicas de saúde, com salários que variam de R$ 4.360,89 a R$ 13.373,40, dependendo da carga horária, da modalidade de atendimento e da unidade escolhida para atuar.

O diretor do Departamento de Atenção Primária à Saúde da Secretaria Municipal da Saúde, Paulo Poli Neto, lembra que, há cerca de dois meses, foram chamados 81 médicos que tinham sido aprovados no concurso público realizado em 2012, mas apenas 24 responderam ao chamamento. Com as vagas ainda abertas, será feito um Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação de mais médicos durante o período de um ano. O processo seletivo será realizado em agosto e, em seguida, os médicos já deverão estar atuando nas unidades.

Segundo o diretor, historicamente a Secretaria registra uma perda anual média de 70 médicos, em função de aposentadorias, falecimentos e exonerações. Entretanto, em 2012 ocorreram 105 desligamentos de médicos e, neste ano, já foram mais 43. “Ampliamos o horário de atendimento em várias unidades e estamos fazendo uma reorganização da assistência à saúde em Curitiba e, para isso, é fundamental preencher todo o quadro profissional, porque a ausência desses médicos ocasiona uma pressão no sistema e pode comprometer a continuidade dos serviços”, comenta.

Entre março e abril deste ano, o número médio mensal de consultas médicas em unidades básicas de saúde teve um incremento de aproximadamente 12%. Entre outubro de 2012 e março de 2013, a média mensal de consultas foi de 149.849. Já nos meses de abril e maio deste ano, a média mensal saltou para 167.813. “O processo seletivo foi a forma que encontramos para resolver o problema da falta de médicos a curto prazo. Já estamos programando a realização de um concurso público no final deste ano, para que estes profissionais possam se tornar servidores efetivos da Prefeitura de Curitiba e contribuir com a ampliação do Sistema Único de Saúde na cidade”, destacou o secretário municipal de Saúde, Adriano Massuda.