Por Elizangela Jubanski

papel

Cartaz foi fixado por uma enfermeira da UPA, segundo pacientes que aguardam atendimento. Foto: Banda B

Um cartaz fixado na parede da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Sítio Cercado, em Curitiba, na manhã desta quinta-feira (29) revolta os pacientes que aguardam atendimento. Alertando sobre o tempo de espera, o recado foi colocado por uma enfermeira do local, às 10 horas. “Tempo de espera, em média, 2 horas após avaliação para consultas não emergenciais”. Segundo os pacientes ouvidos pela Banda B, o tempo médio é para evitar reclamação e deixar a ‘equipe médica trabalhar com tranquilidade’. A Prefeitura de Curitiba, no entanto, informa que a demora é normal e está dentro dos parâmetros de espera pelo atendimento não-emergencial.

Na UPA desde as 9 horas, a decoradora Rosângela Scremin, 44 anos, acompanha o marido que é latoeiro e está com uma fagulha de ferro em um dos olhos. “Passamos pela triagem e continuamos aqui. Se isso não for emergencial, vamos sair daqui passado do meio dia, isso? Parece que o aviso é mais para deixar todos trabalharem tranquilos”, pergunta.

Essa é a segunda vez que o marido sofre o incidente. Ela não soube informar em qual estágio de atendimento o marido estava, no entanto, pela demora, acredita que esteja no não-emergencial, que a equipe médica estabeleceu horário para atender.

A atendente de caixa Alessandra Choinski está com o pai desde as 9h45 disse que o cartaz é injusto, pois estabelece um horário para evitar reclamação. “Usam disso para justificar a espera. Não é bem assim, aqui é um 24 horas e o tempo médio tem que ser o mínimo possível. Colaram aquele negócio para a gente não ter do que reclamar. Mas, vamos reclamar, sim”, desabafa. O pai de Alessandra, segundo ela, sofre com dores nas pernas e precisa se locomover com o auxílio de muletas e andadores.

Outro lado

Embora o cartaz tenha sido anexado após pacientes reclamarem da demora, a assessoria da Prefeitura de Curitiba afirma que o aviso foi colado para manter os pacientes informados e não com o intuito de evitar reclamações. A assessoria ressalta ainda que o cartaz com a frase “Tempo de Espera” está fixo na parede da UPA há muito tempo. O que é trocado, no momento em que a equipe define, é o tempo de espera, que se altera ao longo do dia.

Segue nota da Prefeitura de Curitiba  encaminhada à redação, na íntegra:

O atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) acontece de acordo com a urgência de cada caso. Os pacientes mais graves têm prioridade. Por isso, as chefias das UPAs são orientadas a manter os pacientes informados do tempo médio de espera para as consultas de casos que não sejam considerados emergências . Cada unidade define a melhor forma de repassar a informação aos pacientes”.

Sobre a manhã de hoje, a Prefeitura esclarece: “A Secretaria da Saúde de Curitiba esclarece que na manhã dessa quinta-feira (29) o quadro de profissionais na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Sítio Cercado está completo com oito médicos: três clínicos gerais e dois pediatras realizam as consultas, um médico cuida da emergência, um do setor de observação e um acompanha os pacientes internados. O tempo médio de espera para consulta é de cerca de duas horas“.