Por Marina Sequinel e Geovane Barreiro

Você sabia que uma ratazana pode ter 140 filhotes por ano? E que depois de 30 dias do nascimento, o animal já está apto a reproduzir? Curitiba é apenas uma das cidades que sofrem com a proliferação de ratos e com as doenças que eles causam. Na capital, 83 casos de leptospirose já foram registrados neste ano – 10 pessoas morreram.

lixo-160913-bandab

Acúmulo de lixo é uma das causas da proliferação de ratos. (Imagem ilustrativa – Reprodução Rede Globo)

Para controlar a situação, a Secretaria Municipal de Saúde fiscaliza 114 áreas da cidade. De acordo com o biólogo Juliano Ribeiro, coordenador do Departamento de Zoonoses, qualquer região que tenha tido caso da doença nos últimos três anos pode ser considerada de risco. “Nós vamos realizar o processo de desratização em todos os lugares mais suscetíveis à reprodução dos ratos. É o caso por exemplo, de locais onde ocorrem alagamentos e enchentes, ocupações irregulares próximos a rios, onde há esgoto ou lixo a céu aberto”, contou em entrevista à Banda B.

O biólogo explicou que a água facilita o transporte da bactéria que está na urina do animal. “A ação da secretaria consiste em enviar ao técnico que vai até a residência das pessoas. Se o lugar estiver muito infestado, nós utilizamos produtos químicos. Senão, chamamos a atenção dos moradores para prevenir a proliferação da praga”, completou Ribeiro.

Confira as dicas do biólogo para escapar dos ratos:

– O lixo orgânico deve ser colocado para fora um pouco antes de o caminhão de lixo passar, para que evitar que a sacola rasgue e sirva de atração para os ratos.
– Não deixar o pote do cachorro com comida à noite, porque o rato pode se alimentar da ração.
– Evitar ter abrigos com entulhos em casa.
– É importante ficar atento para os sintomas da leptospirose, que são muito semelhantes aos da gripe. Uma forte dor na panturrilha é um forte indício da doença. Caso você apresente esses sinais, procure assistência médica.