Da AEN

Desde janeiro de 2013 até esta segunda-feira (26), foram registrados no Paraná 1.371 casos de gripe e 56 mortes em função da doença. O novo boletim da Secretaria de Estado da Saúde traz 56 novos casos, o que confirma a tendência de queda registrada nas últimas semanas. Os números levam em conta os casos confirmados através de amostras analisadas pelo Laboratório Central do Estado, em Curitiba.

queda-gripe-260813

(Foto: Divulgação)

O maior número de ocorrências foi registrado em municípios da região de Curitiba (216), Maringá (128) e Londrina (126). O superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz, explica que o monitoramento mostra que o vírus da gripe está circulando em todo o Paraná, mas nessas regiões a circulação é maior por causa da grande concentração populacional.

“Como é uma doença que se transmite pelo ar ou pelo contato com objetos e superfícies infectadas, quanto maior for a concentração de pessoas, maiores são as chances de transmissão”, disse o superintendente.

Por isso, a melhor forma de se proteger da gripe é ter hábitos saudáveis. Manter os ambientes arejados e higienizar as mãos, sempre que possível, são algumas medidas que devem ser incorporadas ao dia-a-dia das pessoas.

Quem está com sintomas da doença também pode contribuir para interromper a circulação viral. “Ao tossir, cumpra a boca com um lenço ou mesmo com o seu antebraço. Isso evita que o vírus expelido contamine o ambiente”, orienta a médica e coordenadora do CIEVS-PR, Mirian Woiski.

As pessoas com suspeita de gripe devem procurar atendimento médico o mais rápido possível, preferencialmente nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas. Deve-se evitar, ainda, tomar medicamentos que apenas aliviam os sintomas da doença. “Não se automedique. Procure atendimento médico e só utilize o medicamento indicado. O antiviral oseltamivir (tamiflu), por exemplo, está disponível gratuitamente nas unidades de saúde e pode ser retirado a partir da receita médica”, ressalta a Mirian.

Mortes

A maior parte das 56 mortes por gripe registradas neste ano está ligada à busca tardia por atendimento e a doenças crônicas pré-existentes. Familiares e pessoas que têm problemas pulmonares, cardíacos ou neurológicos crônicos devem ficar ainda mais atentos aos seguintes sintomas: febre alta, tosse, dor de garganta, dor no corpo, dor nas articulações, calafrio, cansaço e falta de ar.

Nesta semana, a secretaria estadual da Saúde confirmou mais três mortes por gripe. As novas mortes foram registradas entre os dias 2 e 14 de agosto nos municípios de Curitiba, Itaperuçu e Ponta Grossa. O paciente de Curitiba (73 anos) e o de Itaperuçu (30 anos) tinham doenças crônicas que agravaram o quadro clínico. Já a morte de Ponta Grossa foi de uma criança de cinco anos.