Da Redação

No mesmo dia em que o Hospital Evangélico fechou as portas do pronto-socorro por falta de oxigênio, o Hospital Cajuru emitiu uma nota de preocupação na tarde desta terça-feira (26) dizendo que também pode paralisar o atendimento de urgência e emergência caso o tomógrafo do local não seja substituído.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

De acordo com a assessoria do hospital, a preocupação ocorre principalmente após o Hospital do Trabalhador divulgar uma restrição de atendimento nesta terça-feira aos pacientes que necessitavam passar por exames de tomografia, devido à realização da manutenção do único tomógrafo do hospital.

Segundo o Cajuru, o hospital fez uma solicitação, em 2013, junto às secretarias estadual e municipal, requerendo um novo tomógrafo. “Atualmente, o aparelho do hospital já ultrapassou a vida útil, e a fabricante, Siemens, não disponibiliza peças de reposição. Em caráter de urgência, há duas semanas, o Cajuru enviou um ofício para a prefeitura alertando quanto aos riscos da não aquisição de um novo tomógrafo, o que poderia causar uma paralisação também no hospital universitário”, diz a nota.

O tomógrafo é utilizado no diagnóstico de diferentes doenças, avaliação da gravidade e auxilio no tratamento, é de suma importância para garantia de um atendimento de qualidade para a população paranaense.

Resposta

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba e a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). A Sesa informou o Hospital do Trabalhador montou uma estratégia de retaguarda para garantir o atendimento de pacientes que necessitam de exames de tomografia computadorizada, enquanto o aparelho da unidade passa por manutenção. Pacientes que chegam em estado grave e precisam do exame são estabilizados e encaminhados para o Hospital do Idoso Zilda Arns, onde o tomógrafo opera normalmente. Uma ambulância está de prontidão no pronto socorro para realizar o transporte. Até às 15 horas desta terça-feira (26), apenas três pacientes foram submetidos a esse procedimento. Após a realização da tomografia, o paciente retorna novamente ao Hospital do Trabalhador para prosseguir com o tratamento.

Sobre o Hospital Cajuru, a Sesa informa que já está autorizado convênio com a Associação Paranaense de Cultura, responsável pela administração do Hospital Cajuru, para aquisição de um novo tomógrafo para a unidade. O Hospital Cajuru é referência para o atendimento a casos de urgência e emergência em Curitiba. O aparelho, no valor de R$ 1,2 milhão, vai substituir o tomógrafo que hoje funciona no limite de sua vida útil, segundo a direção do hospital. Em dezembro de 2013, o Governo do Estado também autorizou o repasse de R$ 3,8 milhões para a construção do heliponto do Hospital Cajuru.