Da SMCS

Uma ação na Boca Maldita chamou a atenção dos homens para a importância do cuidado com a saúde. Palestras explicativas, distribuição de folhetos e a orientações de profissionais da Saúde marcaram o Dia Nacional do Homem, em ação promovida pelo Conselho Municipal de Saúde em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

HOSPITAL

(Foto: Divulgação SMCS)

Segundo Olivério Ribeiro, coordenador da Comissão de Saúde do Homem do Conselho Municipal, apenas 30% das pessoas que procuram as Unidades de Saúde são homens. “Existe um preconceito, uma vergonha ao se procurar um médico. Outro problema é quando o atendimento é feito por mulheres ou a assistente do médico é mulher. É fundamental que se trabalhe de forma diferente com a população masculina para que esses tabus sejam derrubados”, explicou.

Há dois anos foi montada a Comissão de Saúde do Homem no Conselho Municipal de Saúde. “Estamos trabalhando a saúde do homem como um todo, aconselhando sobre os perigos do álcool e drogas assim como da importância de ter hábitos mais saudáveis para evitar doenças cardiovasculares, que depois dos homicídios e acidentes de trânsito é o principal responsável pela mortalidade masculina”, ressaltou César Monte Serrat Titton, diretor de Redes de Atenção a Saúde.

O aposentado José Ribeiro, de 90 anos, voltava do médico quando parou para receber mais informações sobre os cuidados com a Saúde do Homem. “Não bebo e não fumo, além disso, pratico caminhadas diárias e sempre vou ao médico e por isso tive a oportunidade de operar da próstata precocemente e não ter nenhuma sequela. Para viver bastante é fundamental cuidar da saúde”, afirmou.

Já o contador Vilson Fogaça, de 62 anos, contou que não gosta de ir ao médico. “Procuro ter uma alimentação saudável e faço exercícios, mas confesso que raramente vou ao médico. Só quando preciso mesmo”, contou.