Da AEN

A Secretaria de Estado da Educação iniciou nesta semana a coleta de dados dos alunos da rede estadual para o Programa de Monitoramento Nutricional dos Escolares 2013. Além de verificar informações com a altura e o peso de 1,3 milhão de estudantes de todas as escolas da rede estadual e das Apaes (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), também serão identificados alunos com necessidades dietéticas especiais, como intolerância à lactose, doença celíaca (intolerância ao glúten) e diabetes.

dados-nutricionais-12092013

Foto: AEN

A tarefa segue até 5 de outubro com o objetivo de traçar o perfil nutricional dos alunos.

“As informações servem para desenvolver estratégias e políticas de prevenção de doenças não transmissíveis e para incentivar a prática da alimentação saudável entre os estudantes”, explica a diretora de Infraestrutura e Logística da Superintendência de Desenvolvimento Educacional, Márcia Cristina Stolarski.

A tarefa é desempenhada pelos professores de Educação Física, que foram orientados e capacitados para aplicar questionários sobre hábitos alimentares e a prática de atividades físicas dos estudantes.

O monitoramento nutricional dos estudantes da rede estadual começou no ano de 2010. O objetivo é levantar informações para embasar o planejamento e a adequação de ações na área de segurança alimentar e nutricional a fim de reduzir doenças crônicas não transmissíveis, como obesidade, hipertensão arterial, diabetes mellitus e câncer, entre outras.

“A obesidade e o sobrepeso têm aumentado em crianças, jovens e adultos no Brasil. Com base nos resultados obtidos implantamos dois projetos de educação alimentar: o “Educanvisa” e o “Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia no Paraná. Ampliamos também a oferta de frutas e hortaliças em todas as escolas do Estado”, explicou Márcia Stolarski.

A agricultura familiar está presente na alimentação de 94% das escolas da rede estadual e em 25 % das escolas com alimentos orgânicos.

Benefícios

Os resultados de 2012 mostram uma melhora no índice de normalidade das medidas dos alunos. Cerca de 72% ficaram na faixa de normalidade de medidas. Em 2011, esse índice foi 71%. Também houve uma desaceleração no ritmo de crescimento da obesidade, que em 2011 foi de 0,3% e em 2012 o percentual foi de 0,1%.

Os resultados mostram que permanece maior o índice de obesidade no sexo masculino (9,5%), contra 7% no sexo feminino.

Com relação às necessidades alimentares especiais, a pesquisa tem registrado o aumento das notificações de intolerantes à lactose e diabéticos, permanecendo inalterado o percentual de celíacos. Em 2012 o percentual de diabéticos foi de 0,17%, o de celíacos 0,07% e o de intolerantes à lactose foi de 0,23%.

Saudável

A Secretaria de Estado da Educação desenvolve ações para promover uma alimentação mais saudável entre os alunos. Em 2012 o Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia no Paraná. Em 2012, 14 escolas participavam do projeto piloto.

Agora em 2013 o projeto está sendo ampliado para mais 56 escolas nos 32 Núcleos Regionais de Educação. O projeto idealizado pelo Fundo Nacional de Educação (FNDE) é desenvolvido no Paraná em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, Emater (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural) e Pastoral da Criança.

O objetivo do projeto é promover a educação nutricional através de ações pedagógicas incorporadas ao conteúdo de todas as disciplinas. Os alunos aprendem sobre alimentação saudável, manuseio do solo e sustentabilidade, com base na agroecologia.

Em todas as 14 escolas onde o projeto já é desenvolvido as atividades nas hortas fazem parte do cotidiano escolar. O trabalho pedagógico das escolas associa a importância da alimentação, a sustentabilidade dos recursos naturais e o respeito ao meio ambiente.