Por Felipe Ribeiro e Luiz Henrique de Oliveira

Uma fiscalização em salões de beleza, realizada pela Prefeitura de Curitiba entre dezembro do ano passado e junho de 2013, encontrou irregularidades em oito dos 11 produtos apreendidos para análise. De acordo com o diretor do Centro de Saúde Ambiental, Luiz Armando Erthal, em alguns dos produtos chegou a ser encontrado um nível de formol 40 vezes maior que o permitido pela legislação brasileira. A divulgação dos resultados foi feita na tarde desta segunda-feira (24).

“Os laudos chegaram até nós e foi detectada essa concentração muito alta. O máximo permitido é de 0,2% e em alguns encontrados de 20 a 40 vezes acima do permitido nesses produtos”, comentou.

Segundo Erthal, o formol pode causar irritação ao nariz e aos olhos, dermatite, asma, bronquite e até câncer. “A exposição prolongada a esses produtos podem levar a esses problemas, então orientamos até mesmo os trabalhadores a evitarem esse produto”, disse.

O Centro de Saúde encaminhou a recomendação de apreensão à Agência Nacional de Vigilância Sanitária, já que a maioria dos produtos não é produzida no Paraná. “Agora cabe as vigilâncias locais tomarem as medidas necessárias. Hoje vamos nos encontrar com os donos de salões de beleza para determinar a retirada desses produtos e caso ele venha a ser encontrado, será apreendido”, concluiu.

Os produtos em que foram encontrados irregularidades são: Tratamento Capilar Marroquino Cítrico; Mascara Reconstrutora Catiônica; Lizze Tratamento Capilar; Kera-X restauração instantânea, tratamento de queratina; Recondicionador térmico; Gel redutor; Condicionador Tratamento Progressivo; e Selante Máscara Reconstrutora.