estadao_conteudo_cor-13

dente

(Foto: Divulgação EBC)

O trabalho foi avaliado com 55 crianças entre 3 e 14 anos, divididas em dois grupos a serem identificados: quem respira via oral e outro grupo de respiração nasal, a conclusão da pesquisa intitulada “Association between halitosis and mouth breathing in children” conclui que 40% das crianças possui padrão de respirador bucal, sendo que 63% delas apresentaram forte odor da halitose ou mau hálito, mostrando uma relação estatisticamente significativa entre a respiração bucal e o mau hálito

Segundo o cirurgião Dentista Dr. Giancarlo Zanoli Trentim, a maior porcentagem dos casos de halitose infantil, é notada pela manhã devido a boca seca, causada pela respiração bucal durante a noite. “A evaporação da água na saliva entre os respiradores bucais poderia explicar a halitose, porém este é um estudo inicial e deverá ser aprofundado com o tempo para obter uma conclusão definitiva.”

Parte da timidez e da insegurança observada em crianças no período escolar, estão relacionadas ao mau hálito. O impacto social provocado pela halitose prejudica a qualidade de vida, além de indicar a existência de algum outro problema de saúde que precisa ser investigado pelo dentista e o otorrinolaringologista.