Redação com assessoria

Jovens se arriscam cada vez mais para obter o visual que sempre desejaram. Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP – mostra que o índice de cirurgias estéticas subiu 147% de 2008 á 2012.Os riscos de uma intervenção como essa em pessoas com pouca idade são ainda maiores que os normais.

Os dados levantados revelam que em 2008 cerca de 37 mil adolescentes de 13 a 18 anos realizaram cirurgias plásticas e em 2012 esse número subiu para mais de 90 mil. Ariane Reolon, psicóloga especialista em distúrbios alimentares, diz que muitos jovens sofrem de distorção de imagem corporal e buscam com cirurgias como essa para resolver essa insatisfação visual, mas acabam mudando a insatisfação para outra área do corpo após a plástica. Ela cita também a confusão causada pela mídia com mensagens duplas, nas quais anunciam seguidamente o consumo alimentar e a ostentação ao corpo.

RISCOS

Os perigos naturais de uma cirurgia como infecção e hemorragia, aumentam em jovens por estarem passando por um momento de amadurecimento psicológico, além de mudanças físicas naturais. Outro obstáculo é que a expectativa criada acaba sendo superior nessa idade, o que leva á uma maior possibilidade de decepção. Para o Dr. Bruno Pagnoncelli, Cirurgião Plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, não existe uma idade ideal para se realizar uma cirurgias como essa, visto que cada indivíduo tem uma velocidade de crescimento e desenvolvimento do corpo.

“O mais importante é avaliar cada paciente no que se refere não só ao desenvolvimento biológico, mas também psicológico. Nesta fase da vida as pessoas estão cercadas de incertezas, conflitos interiores, sonhos, descoberta das sexualidade, e isto pode influenciar na decisão de realizar uma cirurgia plástica. É importante avaliar qual a expectativa em relação à cirurgia e sempre ter a participação dos pais nesta decisão” assegura o cirurgião que atende em duas clínicas de Curitiba.

A DECISÃO

De acordo com a SBCP as cirurgias mais procuradas são a mamoplastia de aumento e redutora, a lipoaspiração, a rinoplastia e a correção nas orelhas. A Relações Públicas Amanda Gayas diz que desde criança esteve insatisfeita com seu nariz, pois o achava estranho e que o mesmo não combinava com seu rosto e que com 19 anos resolveu recorrer a uma rinoplastia. Amanda diz que adorou o resultado e se sente muito realizada e que essa mudança foi ótima para sua vida.

A realização de uma intervenção cirúrgica é uma decisão difícil e que não deve ser tomada por impulso. Mudar o corpo é algo importante para a auto estima da pessoa que esta descontente com sua situação, mas também deve estar de acordo com sua personalidade. A cirurgia desde que bem aconselhada e tomada pelas razões certas e não por influencias pode melhorar muitos a vida de alguém em muitos aspectos.