Da Redação

Após dois cancelamentos devido a protestos, o Conselho Universitário da Universidade Federal do Paraná (UFPR) marcou para segunda-feira (9) a nova reunião que pode definir a adesão do Hospital de Clínicas à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Segundo a universidade, as reuniões foram adiadas devido a ameaça à segurança dos conselheiros.

protestohcFoto: Divulgação UFPR

De acordo com nota divulgada no site da UFPR, para esta reunião o reitor Zaki Akel Sobrinho convidou integrantes do Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho e Justiça do Trabalho, além de abrir espaço para servidores, professores e estudantes manifestarem suas posições e apresentarem seus argumentos aos conselheiros.

Na última terça-feira (3), o Conselho de Administração do Hospital de Clínicas também já havia aprovado a gestão compartilhada com a Ebserh por quinze votos a nove.

Para o reitor da UFPR, os manifestantes não entenderam o objetivo da reunião. “O que nós iríamos votar não era o contrato com a Ebserh, mas se a UFPR aceitaria a gestão compartilhada do HC com a organização. O contrato será apreciado tão logo seja concluído pelo Coplad (Conselho de Planejamento e Administração da UFPR) e só a partir de então passará a ter efeitos reais a gestão compartilhada”, afirmou Akel.

Segundo um dos representantes da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), Gibran Jordão, a adesão à Ebserh vai privatizar o HC e provocar várias demissões, o qual os manifestantes querem impedir. “Não vamos permitir a votação fora da universidade e sem a presença da comunidade acadêmica”, disse.