Da Redação com CMC

carnedeonça

Foto: CMC

Em votação unânime, a Câmara de Vereadores aprovou nesta segunda-feira (5) projeto que torna a carne de onça patrimônio cultural imaterial de Curitiba. O objetivo é reconhecer as tradições, intensificar o turismo e incentivar a gastronomia local, que gera renda e empregos na cidade. O prato, cuja origem remonta à década de 1940, é feito com carne bovina crua, sobre broa escura, com bastante cheiro verde, cebola picada, condimentos e azeite.

Foram 25 votos favoráveis, numa votação acompanhada por Nilceia Almeida e Sérgio Medeiros, da Casa Curitiba Honesta, e pelo empresário Fábio Aguayo, da Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas). “É de uma importância enorme. A gastronomia é um setor importantíssimo, pois é o segundo que mais emprega”, disse Medeiros.

De acordo com a lei municipal, o patrimônio cultural é constituído pelo conjunto de bens de natureza material e imaterial, públicos ou privados, que façam referência à identidade, à ação e à memória dos diferentes grupos formadores sociedade. O projeto passa por segunda votação em plenário nesta terça-feira.