Da Redação

confusao2(Foto: APP – Sindicato)

O deputado estadual Valdir Rossoni (PSDB) bateu boca no Twitter com um internauta sobre a agressão contra os professores dentro da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), que aconteceu na tarde desta terça-feira (4). Em resposta a um comentário criticando a ação, o presidente da Alep afirmou que os seguranças envolvidos não serão punidos, mas sim “condecorados”.

“Eu mandei tirar dois de lá e mandaria de novo. Certo é dar uma aula de educação para aqueles dois indivíduos. Os seguranças cumpriram ordens e não serão punidos, mas condecorados”, afirmavam trechos dos tweets que ele escreveu a um internauta que perguntou se “tirar da Alep significava a mesma coisa que mandar para o hospital”.

Outra pessoa questionou o deputado se era verdade que houve espancamentos e que os educadores teriam sido retirados a socos e pontapés das galerias por determinação dele. Ele respondeu “se quem foi retirado era educador, nossa educação anda mal. Tirei dois pilantras de lá”.

print-rossoni2(Foto: Reprodução)

Confronto

O confronto entre professores e seguranças da Alep aconteceu após a aprovação pelos deputados, em primeiro e segundo turno, do projeto de lei que prorroga por um ano o atual mandato dos diretores das 2,1 mil escolas estaduais. Foram 32 votos a favor e 13 contra na segunda discussão da proposta, que já havia sido aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes da sessão. Todo o processo foi acelerado no procedimento conhecido como “tratoraço”, de cordo com o interesse do governo.

A confusão ocorreu quando professores ligados à APP-Sindicato e com camisas do PSTU passaram a gritar nas galerias palavras como “golpistas” e “vergonha”. Um dos manifestantes chegou a jogar uma nota de R$ 10,00 no plenário. Quando Rossoni, presidente da Assembleia, ordenou a retirada de um dos manifestantes, a briga começou. Imagens apresentadas na RPCTV, feitas por um cinegrafista que estava na galeria, mostram o momento em que seguranças agarram o manifestante, que resiste junto com alguns colegas. Os seguranças começam então a dar socos na altura do abdômen dos professores e se inicia uma troca de socos e pontapés dos dois lados. Os manifestantes são arrastados para fora em meio a muita gritaria e protestos.

Quatro professores ficaram feridos durante a briga e foram encaminhados ao serviço médico da Alep. Uma professora foi levada ao hospital com suspeita de fratura no braço.

Notícia relacionada

Socos e pontapés entre seguranças e professores em sessão na Alep com “tratoraço” do governo