O secretário do Trabalho do governo Beto Richa, Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), criticou em entrevista ao jornalista Adilson Arantes, na 2° Edição doJornal daBanda Bdesta sexta-feira (15), a postura do prefeito Gustavo Fruet (PDT), que exige a continuidade do subsídio do Governo do Paraná para evitar o aumento na passagem do transporte coletivo em Curitiba.

Segundo ele, a tarifa de ônibus é de responsabilidade de cada município e não adianta o pedestita ficar de ‘chororô’: “É um preconceito com outras cidades que bancam sozinhas o valor da passagem. Não é o subsídio que define o aumento da tarifa”, polemizou.

Ontem, Romanelli deu uma ‘twittada’ em seu microblog na rede social Twitter que gerou polêmica. Ele afirmou, cutucando Fruet, que a responsabilidade quanto à tarifa é de cada município. Hoje, ao falar com a Banda B, manteve a mesma postura:

“Por que antes mesmo de assumir ele fazia coro ao chororô dos empresários? Durante a gestão de Ducci e Richa, o valor foi mantido. Agora, indiscutivelmente, o problema da tarifa é da prefeitura, não podemos mudar a responsabilidade. O Governo do Estado não pode pagar todas as contas”, destacou.

Parta ele, tirar dinheiro que o Estado investiria na saúde e na educação é injusto com outros municípios paranaenses. “Não é uma questão partidária. Não conheço documentos jurídicos dos subsídios, mas não acho que o governo tem que cair nesta questão do grito dos empresários, porque o subsídio impacta muito pouco na questão da tarifa. Logo, se o Fruet aumentar porque não saiu o subsídio, será uma incoerência por parte dele”, disse.

Para finalizar, Romanelli afirmou que discutiu com técnicos e não se faz necessário o reajuste na passagem de ônibus na capital. “Há dois anos os empresários sentaram e falaram que não precisava. Não existem passivos que justifiquem o aumento dela”, concluiu.