Foto:Antonio Costa/ANPr
Richa anuncia expansão da rede de gás na RMC

O governador Beto Richa anunciou nesta terça-feira (23) o início de construção de 29 quilômetros de rede de distribuição de gás natural da Compagas para atender quatro municípios da Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O ramal sai do bairro Atuba, na região Norte da capital, e passará por Colombo, Pinhais, Campina Grande do Sul e Quatro Barras. O investimento é de R$ 32,8 milhões.

O anúncio do início da obra do gasoduto foi em Quatro Barras, durante em encontro com o prefeito Loreno Tolardo, vereadores, empresários, lideranças e moradores da cidade. Richa anunciou recursos para investimentos em diversas áreas do município. “O gás natural é fundamental para garantir o crescimento econômico das nossas cidades e uma industrialização homogênea do Estado”, afirmou o governador.

O presidente da Compagas, Luciano Pizzatto, disse que o governo estadual ampliará em 40% a rede de distribuição de gás no Paraná, com a construção de 150 quilômetros de gasoduto em quatro anos. “Estamos desenvolvendo um grande volume de obras para levar gás natural a várias regiões e tornar o Paraná mais competitivo”, afirmou Pizzatto.

Atualmente, cerca de 130 indústrias e 350 estabelecimentos comerciais utilizam o gás natural fornecido pela Compagas. O Paraná conta com 610 quilômetros de rede de distribuição e atende a 13 municípios: Curitiba, Ponta Grossa, Palmeira, Campo Largo, São José dos Pinhais, Balsa Nova, Araucária, Colombo, Paranaguá, Pinhais, São Mateus do Sul, Quatro Barras e Londrina.

Expansão

Diversas obras de extensão da rede foram executadas em 2012 e novos ramais foram ligados. Entre os principais projetos, destacam-se o Linha Verde III, em Curitiba, com mais de 50% das obras concluídas, e o ramal para a cidade de Fazenda Rio Grande, também com mais de metade da obra já executada. Também está em execução a implantação da rede de Londrina, com 6,5 quilômetros de extensão.

Dentro do programa Paraná Competitivo, a Compagas assumiu o compromisso de fornecer gás natural ao conglomerado industrial liderado pela Cargill em Castro, por meio da construção de gasoduto, além das empresas já instaladas naquele polo.

O projeto, confirmado em janeiro de 2013, prevê 22 quilômetros de rede do trecho denominado Ponta Grossa II, com investimento de R$ 25 milhões, e 55,5 quilômetros no trecho denominado Carambeí-Castro, no valor aproximado de R$ 58 milhões, totalizando cerca de R$ 83 milhões em investimentos para a região.