Ouça o áudio

O senador Roberto Requião (PMDB) divulgou a imprensa nesta quinta-feira graves denuncias à administração do governador do Paraná Beto Richa (PSDB). Segundo ele, o subsídio da tarifa de ônibus em Curitiba do ano passado engordou o caixa 2 tucano. (Ouça o áudio no ícone acima)

“Esta manipulação surge hoje com o Beto Richa, como foi com o Lerner na época do pedágio. No ano eleitoral, o governador subsidia durante um ano, com R$ 60 milhões, o transporte coletivo de Curitiba para favorecer a eleição do seu candidato. Subsídio só para Curitiba. Não foi suficiente. Ele perdeu a eleição”, complementou Requião.

Sem auditoria

De acordo com o senador, não foi feita auditoria na tarifa do transporte coletivo em Curitiba. “O subsídio não foi para o povo. Foi direto para os empresários concessionários do transporte coletivo. A gente pode imaginar o que isso significou de aporte, recursos improváveis, caixa dois de campanha eleitoral”, garantiu.

Cargos comissionados

Inspirado, Requião também falou sobre a criação de cargos comissionados pelo Governo do Paraná. “Richa criou 330 cargos comissionados e paralelamente a isso cooptou a Assembleia inteira”, protestou.

O senador disse que o governador agiu de forma semelhantes nas eleições estaduais do PMDB do Paraná em dezembro de 2012. “A bancada toda do PMDB votou contra minha candidatura e em paralelo o senador criou mais de 70 novos cargos comissionados. Se tivéssemos um Ministério Público de verdade, certamente ele seria investigado”,salientou.

Resposta

Em nota, o líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano, afirmou que Requião deve estar sofrendo de “amnésia seletiva”, porque quando foi governador chegou a ensaiar uma tentativa de desonerar de ICMS o óleo diesel para baratear a tarifa do transporte coletivo de Curitiba, mas acabou desistindo da ideia. “Talvez ele não tenha tido competência ou interesse em ajudar o transporte coletivo de Curitiba, ao contrário do que fez o governador Beto Richa, que garantiu uma tarifa mais barata enquanto foi prefeito da cidade”, afirmou Traiano.

O deputado disse ainda que 2013 não é ano eleitoral e mesmo assim o governo está mantendo até maio o subsídio pra ter uma tarifa mais barata em Curitiba. “Paralelamente, o governador Beto Richa determinou à Secretaria da Fazenda os estudos necessários para estabelecer algum tipo de benefício que possa ajudar todas as grandes cidades do Paraná a ter um transporte coletivo mais barato e acessível”, concluiu.