Depois de confirmar o seu afastamento da vice-presidência do PDT de Curitiba, o empresário Wilson Picler, que também é mantenedor do Grupo Uninter, disse em entrevista ao Jornal da Banda B 2° Edição com Adilson Arantes, nesta terça-feira (8), que não quer mais participar do tiroteio de cargos que virou a briga por uma vaga no secretariado do prefeito Gustavo Fruet. De acordo com ele, militantes mais antigos do PDT estão realizando uma pressão para conseguirem vagas no 1° escalão das secretarias municipais.

“Quero sair do tiroteio de cargos que virou este começo de Governo e me dedicar a questões pessoais (Grupo Uninter). O Gustavo é um amigo e não vou fazer pressão sobre ele. Não estou insatisfeito com ele, quem está são algumas pessoas que acreditam que eu deveria intermediar uma situação de indicação. Eu enviei mais de 300 currículos ao Fruet e ele é quem defini quem vai escolher. Até o momento só posso aplaudir as escolhas feitas”, afirmou.

Os militantes do PDT estariam insatisfeitos, por exemplo, com nomeações de secretários que faziam parte da administração do ex-prefeito Luciano Ducci. “Eles esquecem que o Ducci não foi ao 2° turno e pessoas da gestão dele vieram apoiar o Fruet. O que quero deixar claro é que não existe nenhuma ruptura entre Picler e Fruet, quem diz isso são blogueiros que querem tentar arrancar algo de mim, por saber que sou alguém bem sucedido financeiramente”, falou o empresário.

Para encerrar o assunto, Picler fez questão de elogiar as escolhas de Fruet. “O Gustavo é uma pessoa com excelente formação e é um homem preparado, que se relacionada com pessoas de mesmo nível. As escolhas dele não estão sendo políticas, mas sim cientificas. Isso mostra o compromisso dele com a população de Curitiba que o elegeu. Ainda acredito que os mais antigos do PDT serão chamados para compor o 2° e 3° escalão da prefeitura”, concluiu.