Redação

hidalgo

Murilo Hidalgo, diretor do Paraná Pesquisas

Legendas e pré-candidatos têm até sábado (5) para definirem as filiações dos interessados em disputar as eleições de 2014. Quem quiser se candidatar, pela lei, tem que estar estar filiado ao partido pelo menos um ano antes da data fixada para as eleições. E a correria é grande. Caciques de todos os partidos trabalham para convencer “bons de voto” a ingressarem em suas legendas.

Para o diretor-presidente do Instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, este troca troca pode surpreender, inclusive pela entrada de novos nomes na política. “Podemos ficar surpresos com os novos nomes que irão ingressar na política. O prazo é até sábado e, até lá, muita coisa dada como certa hoje, poderá mudar”, disse o especialista em entrevista à Banda B nesta terça-feira (1º).

Hidalgo afirmou que existem muito boatos sobre possíveis candidatos e trocas de partidos e tudo só irá se confirmar dia 5 de outubro, porém, algumas pistas são fortes. “É muito forte, por exemplo, a possibilidade dos deputados estaduais Edgar Bueno e Fernando Scanavaca deixarem o PDT e ingressarem do novo partido Solidariedade. E outros deverão migrar. Outro novo partido que deverá atrair muitos nomes é o Rede, de Marina Silva, caso tenha sua criação homologada pelo TSE”.

E é na criação ou não da Rede que está o principal fator das próximas eleições nacionais e locais, segundo o diretor. “Essa é a maior expectativa das eleições de 2014. Marina está em segundo lugar nas intenções de voto para a presidência. Se ela entrar, pelo Rede ou, eventualmente, por outro partido, certamente teremos segundo turno nas eleições”, disse Hidalgo. “É o mesmo caso do Paraná. Se Requião conseguir espaço no PMDB para disputar o governo, também é certo que teremos segundo turno aqui”, completou.

O especialista disse ainda que há a possibilidade de José Serra deixar o PSDB e migrar para o PPS. “Dia 5 teremos todas essas respostas”, concluiu.