Por Ivan Santos, do Bem Paraná

Eleito presidente estadual do PSDB no último domingo, o deputado Valdir Rossoni garantiu ontem que o senador Alvaro Dias terá a vaga de candidato do partido ao Senado caso deseje disputar a reeleição. Rossoni confirmou que gostaria de disputar o cargo, mas afirmou que abre mão em favor de Alvaro, que ensaia uma reaproximação com a cúpula tucana estadual após um longo histórico de divergências.

“Nós temos nossas diferenças, que não são poucas. Mas quando você assume um partido, tem que fazer o que é melhor para o partido. Se ele (Alvaro) desejar ser candidato eu abro mão”, explicou Rossoni.

As desavenças entre Alvaro e o comando do PSDB local vêm desde 2010, quando ele tentou emplacar uma candidatura ao governo pela legenda, mas foi preterido em favor do então prefeito de Curitiba e hoje governador Beto Richa (PSDB). No ano passado, o senador voltou a bater de frente contra os colegas tucanos paranaenses, quando criticou duramente a decisão da sigla de não lançar candidato próprio à prefeitura de Curitiba para apoiar a reeleição do ex-prefeito Luciano Ducci (PSB). A decisão levou Gustavo Fruet (PDT) a deixar a sigla. Fruet acabou eleito e Ducci sequer chegou a segundo turno.

Com a vitória de Fruet e a necessidade de reforçar seu projeto de reeleição, o governador tomou a iniciativa de buscar a reaproximação com o correligionário. Um dos sinais desse processo foi a trabalho feito por Alvaro a pedido do governador para a aprovação de pedido de autorização de empréstimo internacional de R$ 700 milhões ao Paraná no Senado. O projeto deveria ter sido votado no final do ano passado, mas acabou sendo barrado pelo senador Roberto Requião (PMDB), que alegou falta de informações sobre o destino do dinheiro.

Para ler a reportagem completa, clique aqui