Por Luiz Henrique de Oliveira

A proposta de lei que visava reservar parte da frota de ônibus da cidade para o uso exclusivo de mulheres, o ‘Panterão cor-de-rosa’, foi rejeitada pela maioria dos vereadores na sessão da manhã desta segunda-feira (17) na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). O projeto de lei de autoria do vereador Rogério Campos (PSC) teve 22 votos contrários, sete favoráveis e duas abstenções.

panterao(Foto: Divulgação)

Campos tentou convencer os vereadores mostrando reportagens de abusos que aconteceram dentro de ônibus em Curitiba e também levou a público uma pesquisa com 1,3 mil mulheres, as quais, segundo ele, 1,2 mil seriam a favor do ‘Panterão’. O vereador também chegou a citar que a medida seria tomada para evitar o que aconteceu no Rio de Janeiro, quando uma mulher foi estuprada dentro de um ônibus.

A argumentação de Campos não convenceu a maioria dos vereadores. Prof. Josete (PT), contrária ao projeto, afirmou que a sociedade é machista e “segregar não seria a solução”. O vereador Tico Kuzma ponderou que guardas a paisana poderiam evitar este tipo de abuso, mas que a discussão é interessante.

A sessão na câmera esteve lotada durante a manhã de hoje, com pessoas contrárias e favoráveis acompanhando a votação. Por conta da rejeição, o projeto de lei deverá ser arquivado.

Notícia Relacionada:

Proposta do ônibus ‘Panterão cor-de-rosa’ volta a ser debatida na Câmara Municipal