A servidora pública federal e ex-vereadora Roseli Isodoro, presidente do PT em Curitiba, reconheceu em entrevista ao jornalista Adilson Arantes, no Jornal da Banda B 2° Edição desta quarta-feira (9), que parte da base do partido está insatisfeita com os nomes escolhidos para o secretariado municipal.

Roseli, que foi nomeada pelo prefeito Gustavo Fruet (PDT) secretária municipal da Mulher no início de janeiro, comentou a insatisfação dos ‘companheiros e companheiras’. “É um processo sempre delicado e por mais que acha insatisfação na base foi feito um debate em todas as instâncias do partido. O Fruet sempre nos deixou claro que sua escolha teria como base a liderança política e o conhecimento técnico dos nomes em pauta e assim ele tem feito”, garantiu Roseli.

Quanto ao seu cargo, a petista, assim como o prefeito do PDT, disse que irá esperar os primeiros 100 dias para definir propostas. “Esse tempo é necessário para que as pastas possam fazer um levantamento para que sejam realizadas as propostas e este caso também vale para a nossa secretaria. Estou empolgada com esta tarefa desafiadora e vou me dedicar ao máximo”, afirmou.

Ao assumir a secretaria Roseli irá se afastar da presidência do PT. “Sobre a sucessão em nosso partido tudo será feito de maneira democrática em nosso diretório. Ainda não temos nomes“, concluiu.