Depois do prefeito de Curitiba Gustavo Fruet (PDT) ter relatado que a dívida municipal passa dos R$ 440 milhões, nesta segunda-feira (4), em seu discurso na primeira sessão da Câmara dos Vereadores, o novo presidente da Casa, o vereador Paulo Salamuni (PV), que apoiou a candidatura do pedetista, se disse surpreso com os números. Vale lembrar que ele foi vereador nos últimos quatro anos e, assim com os outros parlamentares, tinha como função fiscalizar o que era feito pela Prefeitura.

“São dados complexos e é uma soma que nos pegou de surpresa e certamente não sabíamos o que estava acontecendo. Isto não é algo mensurável e foi preciso muito trabalho para chegar a estes números. Não vamos permitir mais ocorrer este tipo de situação. Vamos votar o crédito adicional para que serviços essenciais não sejam atrapalhados (o crédito foi pedido devido à divida de mais de R$ 200 milhões que não estava prevista no orçamento da Prefeitura)”, justificou Salamuni.

Depois de escândalos nos últimos anos envolvendo a Casa, o vereador verde espera que uma nova fase seja vivida. “Já houve o corte de 246 cargos em comissão, que propicia uma economia anual de mais de R$ 3 milhões. Vamos verificar como a Câmara se porta neste primeiro momento, porque agora é o momento de colocar a ‘Casa em ordem’. É um início. A inauguração de um novo ciclo”, concluiu.