Agência Brasil
O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) apresentou no fim da noite desta terça-feira (5), no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, seu voto pela cassação do deputado André Vargas (sem partido-PR). Houve pedido de vista do parecer, o que adia a análise do caso por duas sessões do Plenário da Câmara. Com o pedido de vista, o parecer será votado somente em setembro.

O pedido de vista foi feito pelos deputados Sibá Machado (PT-AC), Zé Geraldo (PT-PA), Izalci (PSDB-DF) e Rosane Ferreira (PV-SP). Vargas é suspeito de intermediar com o Ministério da Saúde contratos em favor do laboratório Labogen, do doleiro Alberto Youssef, que foi preso em março pela Polícia Federal, na Operação Lava Jato, por participação em esquema de lavagem de dinheiro.

André Vargas compareceu na tarde de ontem no Conselho de Ética e garantiu que não houve quebra de decoro, mas disse que só falaria após o depoimento de quatro testemunhas, que não foram ouvidas devido ao fim do prazo das investigações. Como seu pedido foi rejeitado, Vargas retirou-se e anunciou que vai recorrer à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara e ao Supremo Tribunal Federal (STF) por considerar que houve cerceamento ao seu direito de defesa.

Notícia Relacionada:

André Vargas deixa reunião do Conselho de Ética e reclama de cerceamento de defesa

* Com informações da Agência Câmara Notícias.