Da Redação com Folha de São Paulo

Tentando evitar o trâmite do Conselho de Ética que pede a sua cassação, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), iniciou negociações com o Palácio do Planalto. E, de acordo com reportagem publicada pela Folha de São Paulo, em troca ele se comprometeria a não iniciar um processo de impeachment contra Dilma Rousseff.

Brasília - O Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, fala com a imprensa sobre a representação contra ele no Conselho de Ética, pouco antes de entrar no plenário (Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Foto: Agência Brasil

Segundo a Folha, as conversas de bastidor giram em torno de dois pontos, principalmente. O primeiro deles é a garantia pelo governo federal e pelo PT de que não irá prosperar, a ponto de chegar ao plenário da Câmara, o pedido de cassação feito pelo PSOL e pela Rede.

Cunha tem apelado a aliados e ao governo no sentido de que não seja aprovada a cassação no colegiado.

O segundo ponto das conversas entre governistas e Cunha gira em torno da saída do ministro José Eduardo Cardozo, apontado por Cunha como responsável pelos vazamentos de informações sobre as investigações contra ele.

O presidente da Câmara é acusado de integrar o esquema de corrupção da Petrobras, com a suspeita de ter recebido dinheiro de propina em contas secretas dele e de familiares na Suíça.

A notícia completa você confere clicando aqui.